“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Nota da Educação Brasileira piora na Avaliação do Pisa - Alunos erram contas e não conseguem entender as questões

Nota da Educação Brasileira piora na Avaliação do Pisa - Alunos erram contas  e não conseguem entender as questões



País tinha ficado em 58º no último levantamento do PISA, em 2012, quando 65 países participaram. Dessa vez, foram 70, eo Brasil ficou no 63° lugar em ranking mundial de educação. Educação brasileira teve piora nas notas das três áreas avaliadas: matemática, ciências e leitura.
 A pesquisa do Programa Internacional de Avaliação de Alunos, o PISA, na sigla em inglês, trouxe duas más notícias ao Brasil: em 2015 o país não só continuou mal posicionado, ocupando os últimos lugares no ranking, como teve uma pontuação pior do que em 2012 nas três áreas avaliadas: ciências, matemática e leitura.
O PISA é o principal exame internacional para avaliar a qualidade da educação. A pesquisa é organizada a cada três anos pela OCDE e dessa vez envolveu 70 países e economias.
No ranking, o Brasil ficou na 63ª posição, atrás de países como Indonésia, Jordânia, Albânia e México. Em 2012, quando 65 países participaram, o Brasil ficou em 58º lugar.
O professor da Faculdade de Educação da USP, Ocimar Munhoz Alavarse, afirma que o Brasil ampliou o acesso à educação nas últimas décadas, o que torna mais difícil manter a evolução constante dos indicadores. Ele, no entanto, classifica o resultado no exame como alarmante.
As economias asiáticas são o destaque. Das dez primeiras posições, sete são da Ásia. Cingapura lidera o ranking, seguida por Japão, Estônia, Taiwan e Finlândia.
É a primeira vez, desde que o Brasil passou a participar da prova, há 16 anos, que a nota piorou nas três áreas. Entre 2000 e 2009, o país apresentou uma leve melhora em todas as notas. Em 2012, estagnou em ciências e leitura e evoluiu em matemática.
Professora titular da Unicamp, Maria Marcia Malavasi avalia que os resultados refletem problemas como a falta de investimento na formação de professores e o baixo salário dos profissionais. Mas a educadora alerta: a melhora nos rankings não deve ser um objetivo, e sim a consequência de políticas acertadas.
A secretária executiva do MEC, Maria Helena Guimarães de Castro, reconhece que o Brasil vai mal mesmo na comparação com países latino americanos.
Maria Helena defende a implantação de uma base curricular nacional comum, o investimento na formação de professores e a reforma do ensino médio para que o Brasil melhore o desempenho.
por Por Guilherme Balza - reportagem CBN
O que é o Pisa
O Pisa busca medir o conhecimento e a habilidade em leitura, matemática e ciências de estudantes com 15 anos de idade tanto de países membro da OCDE quanto de países parceiros. Essa é a quarta edição do exame, que é corrigido pela TRI (Teoria de Resposta ao Item). O método é utilizado também na correção do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio): quanto mais distante o resultado ficar da média estipulada, melhor (ou pior) será a nota.
A avaliação já foi aplicada nos anos de 2000, 2003 e 2006. Os dados divulgados hoje foram baseados em avaliações feitas em 2009, com 470 mil estudantes de 65 países. A cada ano é dada uma ênfase para uma disciplina: neste ano, foi a vez de leitura.
Fazem parte da OCDE, como membros, Alemanha, Grécia, Chile, Coreia do Sul, México, Holanda e Polônia, entre outros. Dentre os países parceiros, estão Argentina, Brasil, China, Peru, Qatar e Sérvia, entre outros.
As meninas brasileiras superaram os meninos nas provas de leitura do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) 2009, segundo relatório divulgado na terça-feira (7) pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). As notas médias delas foram 29 pontos maiores que as deles.

Alunos que não conseguem ler e interpretar, realizar cálculos, estão chegando ao Ensino Médio com uma defasagem de aprendização desde o Ensino Fundamental. É preciso repensar mudanças na Educação Básica.

                                                                                                                                                                                    por Júlia Virginia de Moura - pedagoga


o Brasil apresentou melhora apenas em 2009
veja no link:
http://impactodapedagogiamoderna.blogspot.com.br/2010/12/pisa-brasil-cresce-no-indice-de.html
Fonte:
http://cbn.globoradio.globo.com/editorias/pais/2016/12/06/BRASIL-FICA-EM-63-LUGAR-EM-RANKING-MUNDIAL-DE-EDUCACAO.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores