“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


terça-feira, 10 de setembro de 2013

“Viagem Imaginária” - atividade de estimulação da oralidade e da escrita

au        O processamento auditivo está intimamente relacionado a dificuldades na linguagem oral e escrita, pois a audição é a principal via de entrada para a aquisição da linguagem oral, e, embora a linguagem escrita tenha suas peculiaridades, é baseada na linguagem oral, na escrita alfabética, sendo que ambos (sistema escrito e oral) se interpenetram. Portanto, a discriminação auditiva caracterizada pela capacidade para perceber as diferenças entre os sons da fala e para sequencia-los em palavras escritas. É uma componente essencial no que respeita ao uso correto da linguagem e à descodificação da leitura.

     Essa atividade, que os alunos curtem muito, pode ser realizada em duas etapas. Na primeira a professora vai explicar o passo a passo, familiariza-los com os objetos e os sons, e com eles,  sentados em círculo ( em suas cadeiras) realizar a viagem imaginária. Em seguida trocar impressões de tudo que aconteceu, fazendo um reconto oral, anotando palavras-chaves ou frases, que serão usadas para o reconto escrito, confecção de um mural.

Objetivos:

  • Estimular a percepção, a imaginação, a observação e o raciocínio.
  • Promover o desenvolvimento da audição e linguagem através da estimulação da discriminação e memória auditiva.
  • Desenvolvimento da oralidade e escrita.
  • Viagem Imaginária

    Antes, veja neste vídeo, realizado no Colégio Marista de Maringá, uma oficina de audio que mostra como sonorizar  uma história, usando objetos que imitam os sons:

  •    Viagem Imaginária  Hoje vamos fazer uma viagem muito interessante, é uma viagem imaginária. Vamos conhecer tudo o

  • que existe dentro de uma floresta. A gente lê e ouve falar tanto de florestas, mas nunca entramos em uma floresta.

          Vamos entrar bem devagar para poder descobrir tudo que for possível. (1 – as crianças junto com o professor imita uma caminhada – tocando os pés no chão - passos normais). Olhem quantas flores, pássaros, borboletas e arvores grandes, pequenas com folhas bem verdinhas... Olhem naquela árvore que está do lado do coqueiro, tem um bando de macaquinhos que não param de fazer barulhos, pulando de galho em galho... (2-som dos macacos).

         Agora, vamos andar mais um pouco (recomeçar os passos normalmente) para descobrirmos tudo o que tem de mais interessante. Olhem para a direita (3- virar a cabeça para a direita), agora virem a cabeça e olhem para a esquerda de baixo, começando pela terra que estamos pisando até o mais alto, passando pelas árvores maiores até o céu. Vamos descobrir se há pássaros bonitos, como as araras azuis, os gaviões voando no céu...

     DSC07591    Vamos procurar se tem ninhos nas árvores... Vamos também olhar no chão, no meio da grama, pra ver se tem algum bichinho, alguma cobra... Olhem um sapo, (4- apertar a barriga do sapo), cuidado andem devagar, não pisem no sapo, porque ele é muito importante na natureza: são eles que comem os insetos que destroem as plantas: lagartas, formigas e outros insetos.

    DSC07599     Seguindo nosso passeio, vejam como naquele lugar está tudo limpo, não tem árvores, isso se chama uma clareira, e tem um a tribo de índios que mora lá. Vamos observar? Vejam os índios sentados em volta de uma (5- amassar o papel celofane) fogueira, acho que vai ter festa, todos pintados, o corpo o rosto, tudo muito colorido. Ninguém faz barulho pra que eles não nos vejam, vamos nos esconder atrás destas árvores.

    DSC07596     Escutem... parece que vem mais índios a cavalo... são três cavalos, então vão chegar mais 3 índios, devem ser convidados (6- trotar dos cavalos ao longe – bem de leve). Estão se aproximando (os passos aumentam), estão indo pra ficar com os outros índios... pararam e amarraram os cavalos.

    DSC07594    Olhem alguns estão sentados tocando tambores e outros estão dançando e cantando... (7-metade dos alunos sentada – batendo tambores ( ou as mãos sobre a mesa) e cantando o refrão); foi Tupã... a outra metade do grupo

    ( cantando e balançado o corpo pra frente e pra traz, cantando)

    Refrão:

    Foi Tupã, foi Tupã, foi Tupã, foi Tupã... (até o final da música)

    (Música)

    Foi Tabajara, foi Tabajara na terra de Tupã...

    Tem Pica – Pau, Arara, Maracanã, todas as aves do céu quem nos deu foi Tupã...

    Foi Tupã, foi Tupã, foi Tupã, foi Tupã...

      DSC07592   Esta festa está muito boa, mas olhem para o céu, está ficando escuro parece que vai chover. Vamos procurar uma cabana para esperarmos a chuva passar (8- raios e trovões) vamos correr (aumentar os passos) olha lá uma cabana, vamos entrar e esperar... ufa!! (todos suspiram)! Passou! Vamos embora, já está na hora de ir pra casa.

        Foi legal? Gostaram da nossa viagem imaginária?

    Sons:

    1 – passos lentos ( todos dão pisadas no chão  - um pé depois do outro - depois apressados ou correndo)

    2- sons dos macacos

    3 – virar a cabeça para direita, virar para esquerda

    4- apertar a barriga do sapo Um sapinho que coaxa de plástico ou pelúcia)

    5 - amassar o papel celofane (fogueira)

    6- trotar dos cavalos ao longe – (bater  duas casquinhas de coco  na mesa)

    7- um grupo de alunos (sentados) – batendo tambores ( ou as mãos sobre a mesa)

    8- raios e trovões (folha de zinco e radiografia)

  • Após este momento de ludicidade os alunos vão fazer o reconto oral e depois produzirem textos, individualmente ou em grupos, de acordo com os objetivos planejados. O texto individual: alunos ortográficos; O texto produzido em grupos: para alcançar alunos alfabéticos e ortográficos – depois da construção do grupo os alunos vão copiar ou reproduzir individualmente.

Um comentário:

  1. Amei a historia.Pretendo aplicar na minha turma de terceiro ano.

    ResponderExcluir

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores