“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


sábado, 25 de maio de 2013

Dificuldades de Aprendizagem -Transtornos das Habilidades Escolares – Fracasso Escolar: uma relaçã0 saúde/educação, patologia e medicalização?

 

      fra   Estamos vivendo um momento atípico em toda a história da educação e do processo de ensino e aprendizagem em que a sociedade atual, profissionais da saúde, família e escola, situam os diversos comportamentos da criança ligados á patologias e medicalização, gerando controvérsias e dividindo opiniões.

   jv     O estudo "Saúde & Educação"- Desenvolvimento e Aprendizagem do Aluno - da obra de Jairo Werner - Doutor em Ciências Médicas e Saúde Mental pela Unicamp, mestre em Educação pela UFF, professor da UERJ e UFF - em que o tema das diferenças entre dificuldade de aprendizagem, dos transtornos das habilidades escolares e do fracasso escolar é abordado a partir da relação da saúde com a educação, à luz de uma visão crítica. Não se trata, contudo, de se conceber o problema do ponto de vista da “medicalização” ou da patologia.

      As novas formas de avaliar o desempenho da criança levam em conta sua interação com outros alunos e adultos. Através da inter-humanidade, da interrelação pode-se compreender melhor o nível de necessidade do aluno e oferecer respostas adequadas.

 re     A análise da dificuldade de aprendizagem engloba o universo das crianças sem rendimento escolar satisfatório causado por razões sociais ou coletivas. Os transtornos das habilidades escolares dizem respeito àqueles quadros classificados pela medicina como problemas que exigem abordagem médica ou terapêutica.

       Quanto ao fracasso escolar, fenômeno que atinge milhares de crianças no Brasil e se deve a inúmeros fatores característicos de nossa sociedade e a processos educativos inadequados.

       Para enfrentar o grave problema do fracasso escolar, devem-se valorizar o processo educativo, o professor e a abordagem qualitativa do aluno. A linguagem a ser empregada na interação com os estudantes buscará a aproximação com a sua realidade.

       A troca entre a linguagem dos alunos e a linguagem da escola constitui fator de enorme importância no desenvolvimento do aprendizado com qualidade. Isso criará a interlocução e o diálogo, promovendo um processo educativo capaz de dotar os alunos de maior adequação aos conteúdos programáticos.

      A questão do fracasso escolar na rede pública de ensino afeta, sobretudo, as classes populares. Para o enfrentamento dessa situação crítica, a escola precisa entender e acolher a linguagem dos alunos e, ao mesmo tempo, compartilhar com eles a linguagem pedagógica. A isso o autor chama de bilateralismo transformador, na medida em que este leva em consideração as realidades trazidas pelos estudantes com o objetivo de construir o processo de aprendizagem mais eficaz e adaptado ao universo da comunidade escolar.

      Conclui-se o estudo da obra de Jairo Werner, que recomendamos aos educadores que ainda não conhecem, ser muito esclarecedor, formativo e leva á reflexão sobre um novo olhar para o aluno com dificuldades de aprendizagem, oferecendo subsídios para discriminar os vários fatores do fracasso escolar sem se deter unicamente no aspecto patológico que necessita medicação.

Por: Júlia Virginia de Moura - Pedagoga

Fonte de Pesquisa:

"Saúde & Educação"- Desenvolvimento e Aprendizagem do Aluno - da obra de Jairo Werner -

Nenhum comentário:

Postar um comentário

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores