“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


sexta-feira, 22 de março de 2013

Transtornos Funcionais–Dislexia: Tipos, Avaliação e Orientações ao Educador

 dislexia        A visão fonoaudiológica e psicopedagógica da dislexia tem como objetivo enfatizar o papel da linguagem no seu diagnóstico. Os pesquisadores e autores das obras consultadas, para esse artigo, Moojen e França, analisam que o  termo “dislexia”  está sendo usado de forma banalizada,gerando confusão tanto nos meios clínicos quanto acadêmicos, pela diversidade de critérios: duas concepções divergentes em que destas concepções tem a dislexia como transtorno leve e moderado da aprendizagem num nível grave e outra que classifica a dislexia como um transtorno leve e moderado passível de cura.
        Comparando as duas concepções, os autores concluíram que há grandes discrepâncias, mas que há um consenso na comunidade científica e na prática clínica em que a dislexia fica caracterizada por:
“Um transtorno específico das operações implicadas no reconhecimento das palavras que comprometem menor ou maior grau a compreensão da leitura, assim como as habilidades de escrita ortográfica e produção textual, um problema que persiste até a vida adulta, mesmo com tratamento adequado”.
         É um distúrbio com evidências genéticas que surge por estar associado a diferenças funcionais no hemisfério esquerdo presente desde os primeiros anos de escolaridade e quando surge mais tarde configura-se como dislexia adquirida por lesão cerebral.
        É diagnosticada em pessoas com capacidade intelectual normal, visão e audição normal ou corrigida e que não são portadores de problemas psíquicos ou neurológicos graves que justificam por si só, as dificuldades escolares.
         Supõe como um déficit primário, inabilidades do processo fonológico e da memória cujo comprometimento da linguagem é específico do processo fonológico enquanto que outros sistemas de linguagem permanecem intactos.
        Necessita de uma equipe multidisciplinar para seu diagnóstico e tratamento, bem como um trabalho de apoio com a família e a escola.
Tipos de Dislexia
      Para esta classificação é preciso ter em conta as vias independentes pelas quais se reconhece uma palavra escrita:
  • A via léxica ou direta: a forma visual, a pronúncia e significado na memória léxica. palavras familiares
  • A via fonológica, indireta: palavras desconhecida em que se faz necessário a compreensão de regras que convertem sons em letras.
Assim sendo a dislexia se classifica em três tipos:
fono
Dislexia fonológica –(leia sobre Consciência Fonológica e o Principio Alfabético) consiste na dificuldade em converter fonema/grafema e/ou na junção de sons parciais em uma só palavra. São dificuldades na leitura de palavras não familiares, em que se exerce grande esforço da memória para reconhecer os sons e a correspondência com as letras, que no final prejudica a compreensão do que foi lido.
Dislexia Lexical – afeta a leitura de palavras irregulares. O disléxico faz uma leitura lenta, vacilante, silabada, com erros frequentes, repetitiva.
ddDislexia Mista – o disléxico apresenta problemas para operar tanto na via léxica como na fonológica. São situações mais graves e exigem um esforço ainda maior para atenuar o comprometimento das vias de acesso ao léxico.

segunda-feira, 4 de março de 2013

Sugestões de Atividades: desenvolvimento Senso-Perceptivo Visual- Educação Especial : Sala de Recursos

 

“A interação da criança com o meio e com o outro é a ponte que leva às descobertas e ao conhecimento”

A estimulação do desenvolvimento Senso-Perspectivo Visual faz parte das estimulações que contribuem para o desenvolvimento cognitivo.

Conceituação

Sensação: fenômeno elementar gerado por estímulos físicos, químicos ou biológicos.

variados, originados fora ou dentro do organismo, que produzem alterações nos órgãos receptivos, estimulando-os. As diferentes formas de sensação são geradas por estímulos sensoriais específicos: visuais, táteis, auditivos, olfativos, gustativos, proprioceptivos e cinestésicos.

Percepção: é a tomada de consciência pelo indivíduo do estímulo sensorial. Atribui-se, então, a sensação à dimensão neuronal, ainda não plenamente consciente do processo de senso percepção. A percepção é a transformação de estímulos puramente sensoriais em fenômenos perceptivos conscientes.

Objetivos da estimulação do desenvolvimento da percepção sensitiva visual:

Perceber os estímulos ambientais, transformando-os em conhecimentos

  • imagens, o uso do varal de roupas é uma forma de manusear e somar mais uma ação motora).

var

  • Fazer encaixes com emborrachados ou lego.   en

domingo, 3 de março de 2013

Sugestões Atividades–Desenvolvimento Cognitivo : Salas Especiais e Salas de Recursos

        Há aspectos que são fundamentais na estimulação do Desenvolvimento Cognitivo de alunos com necessidades educacionais especiais que podem ser trabalhados nos atendimentos especializados. Lembrando que o papel desempenhado pelo professor em sala de aula deve permanecer distinto e indispensável quando o aluno vai receber o apoio do professor especializado, a não ser em Salas Especiais em que o professor deve trabalhar a estimulação cognitiva quanto os conteúdos programáticos, assim como pode recorrer ao apoio de outros profissionais como psicólogo, fonoaudiólogo, fisioterapeuta etc. em nenhum dos casos o professor regente deve transferir para os especialistas a responsabilidade de sua ação e mediação docente.
Desenvolvimento Cognitivo e Sugestões de Atividades
Objetivos:
Estimular o desenvolvimento cognitivo do aluno para que possa adquirir habilidades de percepção:
  • De si mesmo e do outro;
  • Perceber estímulos ambientais como conhecimentos indispensáveis à sobrevivência e á independência pessoal;
  • Interação com objetos através da ação motora;
  • Expressão clara do pensamento.
Conteúdos
Autopercepção e percepção do outro (domínio do esquema corporal).
Percepção Visual, Auditiva, Tátil, Gustativa e Olfativa.
Condições Importantes para as Atividades
  1. Iniciar pelos estímulos mais agradáveis e significativos para o aluno.
  2. Ambiente tranquilo.
  3. Variar os estímulos pela forma, cor, tamanho e complexidade.
  4. Adequar os estímulos à faixa etária e necessidades especiais.
Autopercepção através de estímulos sensoriais:
clip_image001clip_image002

sábado, 2 de março de 2013

Atividade para Psicogênese – 4 palavras e 1 frase: agregadas por uma unidade de sentido.

atualização da postagem: http://impactodapedagogiamoderna.blogspot.com.br/2012/03/atividade-para-psicogenese-4-palavras-e.html)

De acordo com a técnica das imagens significativas, escolhidas pelos alunos, com fins de motivação e estimulação para realizar o teste da psicogênese, (técnica citada na postagem anterior), veja as listas de palavras e frases, previamente, preparadas pelo professor; palavras, que se espera, sejam citadas pelo aluno durante a interpretação das gravuras. Caso o aluno não fale sobre uma ou mais de uma das palavras que devem ser ditadas, por exemplo, a monossílaba ou polissílaba, o professor deve fazer uma intervenção e acrescentar ao aluno estas palavras, que serão depois ditadas.
Lembrando que as palavras do mesmo campo semântico usadas no teste da psicogênese são as palavras que
estão agregadas por uma unidade de sentido. Como exemplo: a palavra luva, com todas as possibilidades semânticas como: luvaria, luveiro, assentar como uma luva, atirar a luva, de luva branca, deitar a luva, macio como uma luva.
E, também, no teste da psicogênese, pode conter palavras, como expressa Bechara, na Moderna Gramática Portuguesa (37ª Edição – Novo Acordo Ortográfico, pag.397) “palavras que não guardam significado etimológico, ultrapassando os limites da sua primitiva “esfera semântico” assumindo novos valores: “A significação das palavras está intimamente relacionada com o mundo das ideias e dos sentimentos”. Nesta segunda possibilidade, veja como exemplo: futebol, jogo, bola, esporte, campo, estádio, gol,pé, Brasil, campeonato.
Para não gerar dúvidas ou polêmicas é bom lembrar que os neologismos: o léxico, as novas gírias, com aquisição de novas palavras no vocabulário da língua, que está ocorrendo frequentemente com palavras ligadas à globalização, à informática: como show, hip-hop, play, piercing, skate, bike, funk shopping Center, air-bag, kit, fashion, bullying, grife, big brother, mouse, site, chat, e-mail, deletar, Orkut, entre outras tantas (importadas do Inglês), muito usadas no cotidiano, que acabam sendo incorporadas no vernáculo da língua portuguesa, o bom senso diz que, embora haja polêmica do seu uso pedagógico, não devem ser excluídas em nenhum momento da alfabetização/letramento por fazerem parte da linguagem usual do aluno, portanto significativas. Isso não quer dizer que a alfabetização vai se desenvolver dentro de uma língua estrangeira, mas que o professor vai aproveitar estas palavras novas, como ferramentas de aquisição da linguagem correta e formal (pois a construção da escrita se dá por uma teoria explicativa em que se escreve o que se fala) e, portanto, se surgirem durante a psicogênese e não houver como substituí-las por sinônimos na língua portuguesa, podem ser usadas. Como exemplo se o aluno disser que “eu gosto de hip hop”, uma frase contextualizada com a dança e a música a palavra “hip hop” não pode ser excluída.
Sugestão – 1
(as palavras abaixo fazem parte da lista e foram acrescentadas por outras, citadas pelos alunos que realizaram esta atividade)


-encantada,borboleta
- floresta, mágica, varinha
-fada, asas
- bem, luz
Frase: Eu quero ser uma fada.
Sugestão-2

campeonato,goleada
futebol, esporte,basquete,estádio
Brasil, jogo, bola, vôlei,campo
gol, pé
Frase: Eu gosto de futebol.
Sugestão -3

superheroi, alienígenas, animação,televisão
defende, protege, desenho, justiça
força, luta, liga
bem ou Ben (nome do personagem da animação Ben 10)
Frase: Vejo na televisão o desenho do Ben 10.
Sugestão -4

chapeuzinho, menininha,caçadores
vermelho, menina,floresta
lobo,doces, maçã, medo, comeu
mau, vó
Frase: O lobo comeu a vó do Chapeuzinho.
Sugestão – 5

-maratona,competição,feminina
-corrida, mulheres, Silvestre
-tênis,prêmio
-pé,Sã0
Frase: Passou na televisão a corrida de mulheres.
Sugestão -6

-apresentação,bailarinas, ajoelhadas
-teatro
-dança, balé, azul,lindo
-chão
Frase: Gosto de ir ao teatro.
Obs. As frases são feitas de acordo com a interpretação da imagem, feita pelo aluno, que vai estar ligada significativamente à sua vivência, sentimentos e ideias, da sua realidade ou do seu imaginário.
Veja na próxima postagem uma variação desta técnica usada pela equipe disciplinar (SEAA), e que pode ser usada pelo professor em turmas inclusivas, a psicogênese para alunos DI (Deficiência Intelectual e DA (Deficiência Auditiva)


Por: Júlia Virginia de Moura - Pedagoga
Referência:
Emília Ferreiro -Psicogênese da Língua Escrita
Evanildo Bechara -Moderna Gramática Brasileira - 37ª Edição, 2009