“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Eleita a Presidente do Folclore–Projeto “Eleitor do Futuro”- TRE demonstra: educação é responsabilidade de todos!

Este Projeto teve sua culminância, ontem “Dia do Folclore” na Escola Classe 02 do Arapoanga em Planaltina – Df – Iara vence o Negrinho do Pasterio e é Eleita “Presidente do Folclore”!!! (Veja também no blog da escola)
 http://ec02doarapoanga.blogspot.com
O GRANDE COMÍCIO!! "ZÉ URNINHA" ENSINA A VOTAR!!!


Vejam o vídeo da votação e o resultado das apurações: as crianças comemoram. Foi um grande projeto idealizado pelo Tribunal Regional EleitoraL em parceria com a Secretaria de Estado de Educação!
vejam o vídeo:



Parabéns ao TRE pela iniciativa demonstrando que a educação é responsabilidade de Todos!!
Por Julia Virginia de Moura – Pedagoga



































quarta-feira, 15 de agosto de 2012

O “Rei do Folclore”–pleito na escola–alunos aprendem a votar –Projeto Eleitor do Futuro

DSC02827
A data comemorativa do Folclore Brasileiro, que sempre é uma grande festa cultural na escola, uma vez que nosso folclore é muito rico e envolve lendas e tradições que as alunos gostam muito e se divertem bastante.
O Projeto “Eleitor do Futuro”  (TRE – Tribunal Regional Eleitoral e SEDF- Secretaria de Educação do DF) além de trabalhar  com o alunos  cidadania, “seus direitos num contexto social”  (realizando a simulação de um pleito eleitoral, traz os temas transversais contidos  nos Parâmetros Curriculares Nacionais ( temas sociais contemporâneos).
O início do Projeto aconteceu com os professores trabalhando em sala de aula, os diversos aspectos do folclore, e sua expressão artística:DSC02810

                   Saci Pererê
 


Vitória-Régia

Trabalho dos alunos – 2º ano Vespertino – Profª AdrianaDSC02831


Iara
DSC02841                                               Negrinho do Pastoreio
 DSC02824O protetor das plantas e animais da floresta
DSC02826


O GRANDE COMÍCIO!! "ZÉ URNINHA" ENSINA A VOTAR!!!




PERSONAGENS DO FOLCLORE LANÇAM SUAS CANDIDATURAS DEFENDENDO SUAS PLATAFORMAS POLÍTICAS
O TRE enviou os representantes  ( caracterizados) : Saci Pererê, Iara, Negrinho do Pastorinho, Vitória Régia e Curupira, os principais personagens do Folclore que se apresentaram aos alunos, cada um defendeu sua plataforma política, pediram votos e ensinaram a vota na urna eletrônica.

100_4006   100_4009
“Zé Urninha” ensina a criançada a usar a urna eletrônica
O “Comício”
100_4041     100_4045
O Saci Pererê nº  50 e o Curupira nº 20
 DSC02838
O SACI-PERERÊ em seu discurso se apresentou como candidato à Rei do Folclore, prometendo ajudar todas as pessoas que são portadoras de Necessidades Especiais, assim como ele, e relata casos em que teve que se deslocar de um lugar para outro e caiu, e várias situações de cadeirantes e de pessoas que não enxergam com dificuldades de se deslocarem por não ter meios de acesso adaptados. E finaliza  dizendo que “…ter só uma perna não me deixa triste! Estou sempre alegre e de bem com a vida! Agora, se não me tratatem com respeito e atenção… eu fico chateado! E é por isso que que preciso da ajuda de vocês para ser o presidente. VOTEM EM MIM, MEU NÚMERO É 50!
(vejam depois o vídeo)
O Curupira – nº 20
Defensor da natureza, triste com os derrubam as árvores da floresta sem se preocuparem em plantar outras, sem respeitar as reservas ecológicas, contribuindo para que o calor aumente e por muitas outras coisas que estão fazendo contra a natureza é que se candidatou prometendo defender a natureza, diz: “…por isso é que preciso que vocês votem em mim e eu tentarei convencer mais pessoas a ajudarem a proteger a natureza!” MEU NÚMERO É 20
DSC02842
Representante da águas a Vitória-Régia,explicando que o planeta Terra é visto do espaço, como uma bola azul, pela quantidade de água existente, e que é preciso preservar as águas pois grande é importância na vida das pessoas, por isso precisa ser eleita para fazer com que as pessoas compreendam que  pelo desperdício de água, pode-se ficar, no futuro, sem agua, e sem água não há vida.. Então pede:
VOTEM EM MIM, MEU NÚMERO É 10
DSC02843Iara. a sereia
São muitos os motivos da Iara querer vencer essa eleição, ela diz: “Sou uma mulher. No passado as mulheres não tinham valor; agora estão ocupando os cargos mais importantes, elaborando projetos, para mudar a vida de todos para melhor…”, continuando faz um relato sobre os Três Poderes e como as mulheres estão ocupando esses cargos com sucesso. E é por isso que ela quer ser eleita, ser a Presidenta: “Quero divulgar o que as mulheres são capazes de fazer”! VOTEM EM MIM! MEU Nº É 30
Negrinho do Pastoreio
DSC02839Como representante das “diferenças” nesta eleição, diz que “…sei  o que é ser discriminado. Discriminação é quando uma pessoa dá um tratamento que não é justo para outra pessoa…”; não somente pela cor ,mas pelo preconceito dos que usam óculos, dos gordinhos, dos baixinhos… das pessoas que não são iguais à maioria. Argumenta que ninguém é igual a ninguém por isso precisa vencer as eleições.
VOTEM EM MIM! MEU NÚMERO É 40.
VEJAM O VÍDEO DESTA CAMPANHA ELEITORAL, na  próxima postagem!
Em seguida à campanha eleitoral, após os alunos estarem preparados para votar, para escolherem os candidatos e fazer uso da urna eletrônica, o TRE(Tribunal Regional Eleitoral) enviou à escola uma equipe com as Unas Eletrônicas, foram escolhidos os mesários entre os servidores da escola e procedeu a votação. Todas as turmas votaram. Foi uma grande festa.
DSC02844   DSC02869
DSC02870   DSC02892
Logo em seguida à votação foram impressas as  BUs e  o resultado final das votações será divulgado aos eleitores, digo, aos alunos.
Excelente projeto do TRE em parceria com a Secretaria de Educação
Este Projeto foi realizado na Escola Classe 02 do Arapoanga – Planaltina-DF
Por : Júlia Virginia de Moura – Pedagoga









domingo, 12 de agosto de 2012

Plano de aula -Eleições 2012- “Com meu voto mudo minha realidade” Ensino Fundamental II

 em
 
“...o exercício da cidadania compreende a totalidade dos direitos que o indivíduo tem de desempenhar nas mais diversas funções no tecido social, do ponto de vista individual e social. No cotidiano de cada um, seja criança ou adulto, o conhecimento dos direitos, o reconhecimento dos deveres, a adesão legítima às riquezas das necessidades (mesmo as sociais, culturais e políticas) garantem o princípio de liberdade de cidadania. Isso confere ao cidadão o direito de escolher seus amigos, brinquedos, diversão, o seu emprego, a mulher com quem vai se casar, o número de filhos, o médico que ele vai frequentar, o partido político ao qual vai aderir, as concepções de Estado e sociedade para as quais vai destinar o seu voto, o lugar que ele vai ocupar na sociedade.” Rodrigues (1998, p. 64)

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

O Folclore Brasileiro - com nova dinâmica: Projeto “Eleitor do Futuro”

f
Parece que não tem nada a ver: folclore com " eleição” e muito menos " eleitor do futuro”.
Analisando, nas datas comemorativas do mês de agosto, precisamente, 22 de agosto, comemora-se o “dia do folclore”, e a proposta pedagógica da escola, dentro dos parâmetros curriculares do MEC, faz desta data uma um verdadeiro “show” cultural sobre as tradições, crenças e superstições, que se transmitem através das tradições, lendas, contos, provérbios, canções, danças, artesanato, jogos, religiosidade,brincadeiras infantis, mitos, idiomas e dialetos característicos, adivinhações, festas e outras atividades culturais que nasceram e se desenvolveram com o povo, é  o pedagógico da forma mais divertida, lúdica e prazerosa. Então como se justifica  um Projeto “Folclore e o Eleitor do Futuro”? Tem tudo a ver, nas atividades pedagógicas desenvolvidas entrelaçadas com uma “eleição”: o aluno vivencia um momento político, o processo eleitoral e escolhe candidatos( os personagens do folclore brasileiro), defendidos pelos seus partidários, com plataformas políticas ligadas aos temas transversais, temas sociais contemporâneos, como por exemplo, o personagem “a Sereia”, vai representar o papel da mulher e seu destaque  na sociedade,f2
o “Negrinho do Pastoreio” vai apresentar em sua plataforma política, o preconceito às diferenças e suas repercussões na instituiçãof3 escolar. E assim por diante… E dentro deste contexto os alunos, após participar das campanhas políticas vão eleger os candidatos escolhidos pelo moderno sistema de urnas eletrônicas

terça-feira, 7 de agosto de 2012

“Em plena metade do ano percebo que meu aluno "não aprendeu...”

“Só Ensina quem Aprende” e “Todos Podem Aprender”
Um semestre se passou do ano letivo e alguns alunos não acompanharam, não avançaram e o professor entristecido começa a fazer cálculos mentais sobre o resultado de seu trabalho. Parece prematuro? Não. Pois o professor que conhece seus alunos, e se preocupou com alguns, usando diferenciadas abordagens pedagógicas e percebe que o ganho pedagógico não foi suficiente já tem uma previsão de resultados.
Alunos que podem ter um grau de dificuldade de aprendizagem, um ritmo mais lento ou que tenha chegado à sua sala sem ter adquirido os conteúdos da série anterior, e até mesmo alunos que evidenciam uma defasagem, sem apresentar transtornos de aprendizagem.
A pedagogia moderna sugere que os alunos com dificuldades de aprendizagem devem ser encaminhados ás Equipes de Apoio á Aprendizagem, a fim de serem submetidos á investigação de uma suspeita NEEs. g3
Porém, novas maneiras de ensinar, dentro de outros recursos como projetos interventivos, trabalhos em grupo, reforço (retomando os conteúdos anteriores não adquiridos), trabalho de autoestima... é o que vai dar um norte, como sinaliza Esther Pillar Grossi (Geempa)
“nas séries iniciais é comum e normalíssimo encontrar crianças com dificuldades de aprendizagem... (...) os alunos precisam acreditar que o educador gosta de ensinar e, mais do que isso, saber que ele está cumprindo sua função. A ação do professor é que vai fazer a diferença.”
O GEEMPA envolve um grupo de estudos e pesquisas – pós-construtivista
- veicula em suas ações: "só ensina quem aprende" e "todos podem aprender". sua presidente, a professora Doutora Esther Pillar Grossi, e a experiência de mais de 20 anos de pesquisa, acumulada na área de formação de professores e das aprendizagens de crianças, jovens e adultos, dentro e fora das redes formais de ensino, em classes laboratórios e fora delas, e em diferentes áreas de conhecimento (Matemática, Português, História, Artes e Geografia), apontava para o fato de que o fracasso e a evasão escolares, principalmente em segmentos populares, não são decorrentes da prática da avaliação escolar, mas devem-se à ausência de proposta pedagógicas que levem em conta os esquemas de pensamento dos alunos. Isto é, o professor precisa considerar, na sua prática didático-pedagógica, o processo de aprender dos seus alunos, segundo as diferentes áreas do conhecimento a que se dedica.
O GEEMPA e a CORREÇÃO DE FLUXO – é que falta ao professor em situações de ensino/aprendizagem difíceis.

II Simpósio–Afetividade e Inteligência


II SIMPÓSIO AFETIVIDADE E INTELIGENCIA
Contribuições da Neurociência
Dias 9, 10 e 11 de novembro de 2012
Local: Colégio Pedro II – Auditório Mario Lago
Rua Campo de São Cristóvão, 177 – São Cristóvão – Rio de Janeiro/RJ.
(em frente ao Centro de Tradições Nordestinas)
PROGRAMAÇÃO
Dia 9 de novembro – sexta-feira

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Projeto “Casulos e Borboletas”–resgatando a autoestima–alunas das séries iniciais-SEAA

     O Projeto “Borboletas” foi criado especificamente para  um grupo de alunas encaminhadas à Equipe Multidisciplinar – SEAA, com queixa de baixo rendimento escolar e falta de interação social.
    Esta alunas tem em comum: faixa etária de 10 a 12 anos, provenientes de famílias desestruturadas, baixa autoestima, sofrimento emocional, retraímento, timidez excessiva,  pouca comunicação verbal, (algumas a professora nunca tinha ouvido o som da voz)…
    Foram encaminhadas às oficinas de atoestima. Passaram pelo Projeto “Contos de Fadas”, “Como me sinto Hoje” e finalmente pelo projeto “Borboletas”.
      Partindo de estudos realizados com crianças com baixa autoestima com reflexos na aprendizagem e na interação social, e do resultado de várias pesquisas que concluem que: “O resgate da autoestima e a autoconfiança resgatam também a capacidade de aprender através do compartilhar momentos de reflexões e encontrar soluções possíveis para situações de conflitos da vida diária, em sala de aula, na família, na comunidade, que possam estar refletindo em seus processos de aprendizagem e comportamentos inadequados. O autoconceito positivo e o autoconhecimento de suas habilidades vão gerar ganhos cognitivos e através dos quais poderão estabelecer uma relação positiva com o conhecimento, com as pessoas e consigo mesmo.”
     O Projeto “Borboletas”que foi realizado com este grupos de alunas