“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


sábado, 23 de junho de 2012

Matemática e Ludicidade–II Circuito Pedagógico da Educação Básica

Ensinar matemática brincando? Será isso possível?
Quando escolheu  o tema “jogos”, tínha como objetivo encontrar um método alternativo para o ensino da matemática, que para muitos alunos é “um bicho de 7 cabeças” e o uso de muitos jogos estratégicos que desenvolvem o raciocínio lógico, faz com que o aluno aprenda sem perceber”, assim o professor Mestrando em Matemática André Wangles de Araújo – SEE/D , apresentou uma das metodologias que usa em sala de aula que tem dado certo no ensino da matemática.
Lembrou como foi bem sucedido no conteúdo Mínimo Múltiplo Comum em que suas turmas encontram a maior dificuldade e usando de sua criatividade criou um hap MMC, com a letra de uma regra simples para cáculo do Mínimo Multiplo Comum, através do qual todas as dificuldades foram superadas.
  Para demonstrar da importancia da  ludicidade  o Profº André Wangles convidou os professores a realizar o jogo do NIM – dipôs à cada dupla de professores, tampinhas de garrafas, palitos de picolé, cola corida.

Jogo do Nim
Nim é um jogo táctico para 2 jogadores. Aparentemente inspirado num antigo jogo chinês de apostas, conhecido como Fan-Tan.
Objectivo

Não ser o jogador a riscar o último traço (pode ser o contrário, caso combinado previamente entre os jogadores, vencendo aquele que riscar o último traço).
Material Necessário

Lápis e papel (pode ser jogado com palitos, tampinhas coloridas etc. Nesse caso ao invés de riscar, o jogador retira os objectos)
Preparação

Desenhar várias filas de traços verticais: uma com 7 traços, uma com 5, uma com 3 e uma com 1, como na ilustração que se segue:
                     I   
            I I I 
          I I I I I
Esta é a  formação famosa é constituída por uma fila com 5 traços, uma com 4 e uma com 3. Se quiserem, os jogadores podem criar as suas próprias formações.
Procedimento de Jogo

Na sua vez cada jogador pode riscar quantos traços quiser, ou colocar os objetos (tampinhas ou palitos) desde que estejam na mesma fileira.
Vencedor
Vence quem forçar o adversário a riscar ( ou retirar a última peça)
A utilização de atividades lúdicas na Matemática e de materiais concretos é totalmente relacionada ao desenvolvimento cognitivo da criança. Há de se refletir que alguns conteúdos específicos da Matemática não possuem relação com a idéia de serem aplicados utilizando jogos, mas de certa forma promovem um senso crítico, investigador, que ajuda na compreensão e entendimento de determinados tópicos relacionados ao ensino da Matemática.
Por: Júlia Virginia de Moura – Pedagoga

Um comentário:

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores