“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


quinta-feira, 28 de junho de 2012

Dificuldades Escolares e Psicomotricidade

Tente e Invente um Circuito de Psicomotricidade: resultados na sala de aula! Veja como fazer isso no site abaixo.

Esta é uma das intervenções do SEAA- Equipe de Apoio à Aprendizagem – aos alunos do Bia com queixas escolares.

Dificuldades na aprendizagem? Muitas delas, comprovadamente estão nas falhas do desenvolvimento da psicomotricidade, que podem surgir devido a deficiências na área motora ou intelectual.

Este trabalho de desenvolvimento de diversas áreas psicomotoras dentro de um “circuito pedagógico” pode ser realizado em parte na própria sala de aula e durante os momentos de recreação. Não pense que “forçar” a aprendizagem com conteúdos vai melhorar o desempenho dos seus alunos se há falhas psicomotoras.

Veja uma lista de dificuldades de aprendizagem que podem estar associadas (ou não, mas se você não promover essas atividades, não pode estar descartado o domínio psicomotor) ao:

1 – Esquema Corporal – o aluno não domina a formação do esquema corporal, por falta de experiências afetivas e daí surgem:

  • Dificuldade de coordenação e de equilíbrio;
  • Conhecimento pobre de seu corpo: não nomeia as partes do seu próprio corpo;
  • Dificuldades em calçar, abotoar o vestuário, usar talheres, pentear cabelos, tomar banho sozinho, andar de bicicleta; escovar dentes, amarrar o tênis… e pode-se observar no seu desenho do corpo, faz uso de poucos detalhes, por exemplo.

2-Localização espacial

Dificuldades em especificar locais: onde mora, onde tomou o ônibus, por onde passou… na própria noção de orientação dentro da escola, sala de aula ou em outros espaços da escola;

  • Na discriminação das direções das grafias das letras. Como "m" e "u", "ou" e "on", "p" e "q", "b" e "d", "6" e "9", "15" e "51" etc.;
  • Na escrita, sabe quais letras vai usar para determinada palavra, mas às vezes usa-as de forma aleatória.

3-Orientação temporal

A estruturação temporal: usar a ordem cronológica dos acontecimentos: antes, depois, durante. Noções de hora, minutos, os dias da semana, os meses, as estações do ano. Tudo precisa ser ensinado em casa e na ; escola: todo domingo vamos à igreja, ou à feira; sábado não tem aula, toda 4ª tem dentista… toda terça-feira: recreação, toda quinta-feira: lanche coletivo, 2ª feira , laboratório de informática (faça uma agenda e fixe no quadro: é assim que os alunos aprendem os dias da semana…)

2-Lateralidade

A lateralidade é a habilidade que o ser humano possui de utilizar preferencialmente mais um lado do corpo do que o outro em três níveis: mão, olho e pé. Oliveira (2005, pp.62-63);

Isto significa que existe uma predominância de um lado (o direito ou o esquerdo) receberá apoio do lado oposto. Par escrever com a direita, o lado esquerdo apoia todos os movimentos (e vice-versa) – a mão, o braço, os olhos…

Quando um aluno tem falhas na lateralidade, como lateralidade indefinida, ora usa um lado ora outro, vai faltar tonicidade, observe o que acontece:

  • A criança escreve seus números e letras "espelhadas";
  • Dificuldade em direcionar a grafia da esquerda para direita; A escrita é lenta ou ilegível.
  • Exerce muito esforço para escrever;
  • Dificuldade em discernir esquerda e direita;
  • Faz confusão com a grafia de letras semelhantes (direções): como b, d, q, p. 

3-Estruturação espacial

Esse domínio é fundamental para a leitura e linguagem da criança:.

Dificuldades em estruturação temporal :

  • Não percebe os espaços que existem entre uma palavra e outra;
  • Inversão da ordem das letras nas sílabas: na fala e até na escrita: Pode escrever "corbetor" em vez de "cobertor";
  • Dificuldades em terminar as atividades junto com a turma, outra queixa dos professores;
  • Em matemática, na execução de cálculos, pode trazer problemas na organização de coluna e fileira.
  • Percebe-se, principalmente, numa das principais queixas do professor: desorganização. O aluno, simplesmente em dificuldades em se organizar: material escolar, caderno (usar a folha, a pauta, respeitar limites das linhas), centralizar o desenho na folha e etc.

Por Júlia Virginia de Moura – Pedagoga

Veja no blog; SÓ ATIVIDADES PARA SALA DE AULA, um circuito de psicomotricidade que independe de muito material e que dá resultados surpreendetes na sala de aula, clicando aqui

Por: Júlia Virginia de Moura – Pedagoga

sábado, 23 de junho de 2012

Matemática e Ludicidade–II Circuito Pedagógico da Educação Básica

Ensinar matemática brincando? Será isso possível?
Quando escolheu  o tema “jogos”, tínha como objetivo encontrar um método alternativo para o ensino da matemática, que para muitos alunos é “um bicho de 7 cabeças” e o uso de muitos jogos estratégicos que desenvolvem o raciocínio lógico, faz com que o aluno aprenda sem perceber”, assim o professor Mestrando em Matemática André Wangles de Araújo – SEE/D , apresentou uma das metodologias que usa em sala de aula que tem dado certo no ensino da matemática.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Jogos na Psicogênese–II Circuito Pedagógico da Educação Básica

Esta Oficina,Jogos na Psicogênese – Uma Proposta de Interferência em cada Nível- em formação continuada aos professores da CREP- Planaltina-DF, bastante concorrida na procura de diversificação das práticas pedagógicas, foi realizada pela  pela Especialista em Educação e Psicopedagogia Márcia Aparecida Vieira-SEE/DF .

DurDSC02309ante a Oficina, a Professora Márcia Aparecida, fez uma demonstração dos diversos jogos que podem ser usados nos níveis da psicogênese, com objetivos definidos não só do avanço nas hipóteses, como oportunizar, através do lúdico, vários momentos ao aluno de repensar sua escrita. Os jogos , de acordo com a professora e psicopedagoga, são ferramentas pedagógicas que mais possibilidades oferecem aos alunos em construir o conhecimento, principalmente na aquisição da escrita e da leitura, pois são significativos, divertidos, levando-se em conta que vários aspectos do desenvolvimento da psicomotricidade e do  comportamento social são alcançados: atenção, concentração, coordenação motora, lateralidade, estrutura espacial assim como regras, limites, e valores.

Nível Pré-Silábico

DSC02323      DSC02324

Neste nível da Psicogênese um dos jogos mais importantes, (ou qualquer outro similar) é trabalhar com os sons da letras. Sons Iniciais e Sons Finais. Através destes jogos ou de atividades em que se usa miniaturas, imagens… o aluno vai construir o conhecimento de que na escrita há uma relação entre letra e som, entre grafema e fonema. È importante a percepção  fonológica na escrita, pois a aquisição deste conhecimento vai ser transposto na construção de novas palavras, e no avanço para outros níveis. Foi lembrado que nem todos os jogos devem ser comprados prontos, mas podem ser confeccionados pelo professor.

Nível Silábico

DSC02325 

A sonoridade das letras é um jogo que pode seguir os níveis pré-silábico, silábico e silábico/alfabético. O professor ao trabalhar neste níveis, de acordo com a professora Márcia, deve da muita ênfase na pronúncia das palavras, aproximando muito do “fônico”, trabalhando muito a postura do corpo, também. O jogo encaixe letras/figuras vai de forma lúdica levar o concreto para o abstrato, em que o aluno vai relacionar som/imagem, o que neste nível da psicogênese é importante para que o aluno avance na construção das hipóteses.

      DSC02310     DSC02321

No nível silábico/alfabético, recomenda-se os Jogos “Batalha de Palavras” e “Letra Letra”.Neste nível, os alunos necessitam perceber que as palavras tem um determinado número de letras. Da mesma forma que que ele, nesta hipótese já avançou na construção  do conhecimento da sonoridade, dos sons iniciais, sons finais, a descoberta de quantas letras ele vai usar na palavra que quer registrar, é fundamental para que possa passar ao nível alfabético, sem disparidades.

DSC02326        Nível Alfabético .

 Neste estágio, o aluno já compreendeu o sistema de escrita, entendendo que cada um dos caracteres da palavra corresponde a um valor sonoro menor do que a sílaba e também domina as convenções ortográficas.

Quando o aluno vem avançando nas hipóteses, através de jogos, de atividades escritas como produção de textos ( com rimas, parlendas, quadrinhas e etc.) reconto coletivo, autocorreção e  correção coletiva, no nível alfabético ele vai brincar com mais autonomia com letras e palavras. E a sugestão de jogos para este nível: Troca Letras ( quando vai construir, destruir e reconstruir novas palavras através de  novas descobertas);

É o momento em que vai surgir a aglutinação de palavras, por exemplo: ogatocomeuorato. E uma atividade excelente para que o aluno desenvolva a escrita correta, além dos ditados de frases, ou palavras e  muita leitura(textos de pequena ), uma sugestão excelente de atividade , é atividade escrita o impresso e ilustrado),   em que todo o texto vem com as palavras aglutinação, o professor faz a leitura, depois lê com  os alunos e  depois da descoberta de que as palavras estão grudadas, ( O professor faz as duas leituras: pausada e aglutinada), os alunos vão separar as palavras como no modelo:

   DSC02320

 

Desenvolvendo a leitura e a escrita, produções, recontos, através de pequenos textos ilustrados(imagens, fotos, gravuras que sejam significativas de acordo com a vivência  ou do imaginário, e o conhecimento prévio dos alunos.

          DSC02328    DSC02329

Finalizando, a professora Márcia, falou da importância do lúdico na aprendizagem, e que os resultados de sucesso da alfabetização tem na ludicidade  uma ferramenta , que a princípio pode parecer que demanda muito trabalh0 por parte do professor, mas que se ele desde o início, adota esta prática com sua turma as dificuldades em coordenar as atividades vão fazendo parte, naturalmente, da rotina da sala de aula.

Esta foi uma das oficinas que participei e que com certeza trouxe uma prática diversificada não só para a alfabetização em si, mas  especificamente na avaliação não só dos alunos, mas na própria avaliação do trabalho do professor, quando pode-se questionar se suas ações pedagógicas estão avançando ou não e como fazê-las avançar, além da base que os níveis da psicogênese dá ao planejamento ao professor.

Por: Júlia Virginia de Moura – Pedagoga

 

 

quarta-feira, 20 de junho de 2012

II Circuito Pedagógico da Educação Básica–Integrando Saberes e Experiências

Coordenação Regional de Ensino de Planaltina-Coordenador: Luciano Lacerda Pereira -  promoveu nesta quarta-feira o II Circuito Pedagógico da Educação Básica , evento idealizado pela  Gerencia Regional de Educação Básica (GREB) - CRE Planaltina –DF
Gerente: Prof. .Bento Reis e a articuladora: Profa. Kátia Regina do Carmo Pereira.
Com o objetivo de promover oficinas pedagógicas aos professores  de todas as escolas da CREP  : Educação Infantil/ Anos Iniciais; Anos Finais/Ensino Médio/EJA, (assim como Oficinas para Estudantes)  -  formação continuada, apresentando “um novo olhar” para os temas que vem sido assinalados, como os de maior interesse por parte dos professores com necessidades de conhecer novas práticas pedagógicas para suas salas de aula, o Circuito Pedagógico  aconteceu na Escola Classe 04 e foi um grande sucesso  atendendo as expectativas dos professores.

domingo, 17 de junho de 2012

Projeto Interventivo: “Um Blog da Turma”

Veja no final desta postagem um blog/teste: simulação de um "Blog da Turma"
Atividades:
  1. jogos (palavras cruzadas, jogo da forca e outros jogos pedagógicos. Colocar os links de jogos pedagógicos para o aluno acessar; jogos matemáticos para desenvolvimento do cálculo mental;
  2. vídeos ( vídeos selecionados, de acordo com o conteúdo trabalhado ou a ser introduzido, assim como vídeos da turma realizando atividades, em passeios, com entrevistas de alunos sobre temas pedagógicos ou de lazer: danças, dramatizações, apresentações e etc..
  3. imagens, fotos ( imagens ilustrativas de atividades, fotos da turma em atividades

Atividades para um" Blog da Turma"- Projeto Interventivo

Veja no final desta postagem um blog/teste: simulação de um "Blog da Turma"
Atividades:
  1. jogos (palavras cruzadas, jogo da forca e outros jogos pedagógicos. Colocar os links de jogos pedagógicos para o aluno acessar; jogos matemáticos para desenvolvimento do cálculo mental;
  2. vídeos ( vídeos selecionados, de acordo com o conteúdo trabalhado ou a ser introduzido, assim como vídeos da turma realizando atividades, em passeios, com entrevistas de alunos sobre temas pedagógicos ou de lazer: danças, dramatizações, apresentações e etc..
  3. imagens, fotos ( imagens ilustrativas de atividades, fotos da turma em atividades, passeios, da escola, da cidade, do bairro, de pesquisas de campo, sempre, na maior parte relacionadas com os conteúdos pedagógicos)
  4. divulgação de trabalhos, alunos “destaque” da sala de aula: premiados em concursos de produção de textos, campeões de jogos pedagógicos e de atividades psicomotoras, recreativos…
  5. poesias, crônicas, charges, piadas, músicas, parlenda, eventos, pesquisas... ( tudo com objetivos educativos, levados da sala de aula ou do blog para a sala de aula, pelo professor e pelos alunos) para ser trabalhado os conteúdos.
  6. atividades pedagógicas – de acordo com os conteúdos que se quer alcançar: dividir os alunos em grupos ( por níveis) e cada grupo vai acessar as atividades determinadas para aquele grupo.Abrir competições, como nos games: quem vencer este nível ( A, B, C…) vai passar para o próximo nível – os alunos conhecem bem estas táticas dinâmicas dos jogos que motivam o desejo de avançar .
Formatação da Página Inicial do blog ( que pode e deve ser, no decorrer do tempo, modificada, de acordo com a necessidade e com a finalidade de estar sempre de “cara nova”.
Para um projeto interventivo não pode faltar na página inicial nas colunas laterais:


Veja tudo no blog( e um blog de turma/teste(simulação):


Só Atividades para  Sala de Aula  
Clicando aqui > http://soatividadesparasaladeaula.blogspot.com.br/

Por:Júlia Virginia de Moura - Pedagoga

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Como criar um blog para sua turma- ferramenta pedagógica

 

Como criar um blog na plataforma Blogger / Blogspo

Guia de primeiros passos

O Blogger oferece uma maneira fácil de colaborar, discutir ou compartilhar os seus pensamentos com outras pessoas.
Esse guia pode ajudar você a se familiarizar com os recursos principais do Blogger e começar a escrever o seu próprio blog.
Para começar a usar o Blogger, basta fazer login

domingo, 10 de junho de 2012

Projeto interventivo 3º ano EF- Criar um blog

Blog da Turma - Um projeto Interventivo para 3º Ano – Séries Iniciais

Quando um aluno faz o que gosta ele aprendsitesedue melhor e mais rápido”

A grande queixa dos professores do Ensino Fundamental – Séries Iniciais (3º Ano) – são as dificuldades que encontram na sua turma, resumidas em uma só frase: “tenho todos os três níveis da psicogênese na minha turma”.

Sempre em qualquer turma um professor vai encontrar níveis diferentes, mas em grande parte das turmas de 3º ano o percentual de alunos pré-silábicos e silábicos, está deixando o professor atordoado, é semelhante ao trabalho em uma turma multissriada, que, diga-se de passagem, ele não fez essa opção de trabalho, quando escolheu sua turma.

Comentários dos alunos

 eu gosto da aula por que eles sao muinto legais e eles pasam jogos legais emuinto faSIO ADOREIO JOGOS ADOREI O JOGO DACRUSADINHA EMUINTOS NATHALY 3 C

Este projeto “Um blog para uma turma de 3º ano” com a finalidade de ser um projeto interventivo é uma ferramenta há mais, que vai ajudar o professor a melhora o desempenho de sua turma, diminuindo as disparidades encontradas nos níveis, que embora não vá deixar todos os alunos no mesmo nível (para um 3º ano), mas vai ajudar nos avanços das hipóteses e, caso tenha alunos incluídos (NEEs), é mais uma ferramenta de flexibilização das atividades proporcionar a eles atividades ás suas necessidades de alfabetização.

As características de turmas que recebem estas queixas, geralmente, são constituídas por:

• alunos com repetência;

• dificuldades de aprendizagem;

• dificuldades quanto ao comportamento social;

• alunos que foram promovidos sem terem dominado os conteúdos das séries anteriores;

• alunos nos níveis da turma: idade e conteúdos.

Esta é a ideia:

Criar um Blog – por que e como essa ferramenta pode ajudar? Porque toda criança já sabe ou está muito interessada em  interagir no espaço virtual.  Postagem de atividades

Se o blog é uma ferramenta automotivadora o seu aluno vai aprender.

As tarefas de casa (no caderno) que nem sempre são feitas, ou são feitas por outra pessoa serão mais interessantes, para o aluno no blog, é fácil saber pela maneira de responder, com erros ortográficos e mesmo quando escreve como se fala, e etc. at

Atividades ou similares que foram trabalhadas em sala de aula podem ser feitas através o computador, na sala de informática ou em casa.

Colocar alunos pé-silábicos ao lado de alfabéticos, na sala de informática, com atividades diferenciadas, em que um pode ajudar o outro. Quando o conhecimento é repassado pelos pares surge outra dinâmica de aprendizagem.

Acompanhar tudo isso no blog é uma excelente maneira de avaliar.

Veja outros excelentes motivos para se criar um blog da sua turma:

A possibilidade inserir imagens nas atividades (e fotos alunos realizando atividades) nos blogs, o educador tem uma excelente oportunidade de explorar essa linguagem tão atraente para qualquer leitor, o que aumenta ainda mais a diversão. O professor e os alunos descobrirão a magia da repercussão de suas palavras digitais e das imagens selecionadas (ou criadas).

Aproxima professor e alunos: além de trocar ideias com a turma, o que é um hábito extremamente saudável e afetivo na relação professor/aluno/aprendizagem. em

O professor ligado à modernidade tecnológica e a uma nova maneira de se comunicar com os alunos, o educador também vai acabar conectando-se ainda mais ao mundo em que vive. Isso ocorre concretamente nos blogs por meio dos links (que significam “elos”, em inglês) através de várias pesquisas para descobrir o que lhe interessava. E o próprio professor vai se sentir menos entediado em estar somente planejando, escrevendo na lousa e corrigindo cadernos.

Publicação de textos

Final de Ano

Publicado em 29/12/2011 por nicolau

Eu,Nicolau estudei em 2011 no colégio e vou estudar em 2012,fui para o 4ano .Então no 4 ano eu quero ser um aluno melhor do que no terceiro,apesar de que fui um aluno bom no     3ano mais quero ser melhor ainda no 4ano

De;Nicolau

Amplia a aula: além do tempo que usou em sala para introduzir um conteúdo, por exemplo, que foi postado no blog, também, a sua aula será repensada, pelos alunos em outro momento quando acessarem o blog.

Permite trocar experiências com colegas: como vai haver as páginas para os diversos níveis, os que estão em níveis aquém ao esperado para a série sentirão motivados a estar desenvolvendo atividades dos níveis mais avançados: motivação para buscar em si mesmo o desejo de aprender.

Fazer com que a diversidade de conteúdos do blog seja também divertida, por exemplo, use um vídeo-clip de uma música que os alunos estão “curtindo”, faça a postagem da letra e depois leve para a sala de aula e trabalhe conteúdos: letras, palavras, frases. Cante com eles. Transcreva no caderno (aproveite e use o caderno de caligrafia: legibilidade, atenção para copiar corretamente...) solicite ilustrações. Faça depois apresentações da dança ou dramatize a letra das músicas.

bl

Com recursos que podem ser divertidos, em mãos, também é possível que os colegas professores entrem nos blogs uns dos outros. Essa troca de experiências e de reflexões certamente será muito rica. Em (É claro que os blogs mais divertidos serão os mais visitados. E não precisamos confundir diversão com falta de seriedade profissional.).

Torna o trabalho visível: o professor que possui um blog tem mais possibilidade de ser visto, comentado e conhecido por seu trabalho e suas reflexões. Por que não experimentar a fama pelo menos por algum tempo?

Se sua escola já tem um blog, você pode adicionar uma página para sua turma, ou pode criar o próprio blog da turma, após contar com a colaboração da escola na construção deste espaço.

Crie uma sala de aula virtual com seu blog e você vai ficar impressionada como seus alunos vão interagir pedagogicamente, postagens, atividades, comentários... Que provavelmente não teriam tempo e espaço para exporem seus conhecimentos, necessidades, dificuldades, e ideias surpreendentes, desde que neste espaço, você professor abrisse para atividades mais divertidas e também pedagógicas, nem sempre possíveis de serem usadas na sala de aula: jogos, vídeos, imagens, fotos, divulgação de trabalhos, destaques da sala de aula, poesias, crônicas, charges, piadas, músicas, poesias, eventos, pesquisas... ( tudo com objetivos educativos, levados da sala de aula ou do blog para a sala de aula)

Visite alguns blogs para que tenha suas próprias ideias de como poderia ser usado c homo um projeto interventivo, que poderia ser usado como uma atividade extraclasse ou na sala de informática como extensão de suas atividades pedagógicas;

Oficina da Educação

http://of2edu.blogspot.com.br/

Veja neste blog Ensino Fundamental – 7ª B – o que diz a professora sobre o blog:

http://estudandocomvanusia.blogspot.com.br/2010/05/ensino-fundamental-7-b-turma-da-pesada.html

Nestes sites Colégio Rio Branco, Nossa Senhora de Fátima, São Camilo: há páginas (ou blogs) para todas as séries/anos – são paginas administradas somente pelos professores (veja algumas ideias sobre os trabalhos em várias turmas). – já que o projeto visa atingir alunos de vários níveis:

http://www.riobranco.org.br/43/ensino-fundamental-i/projetos

http://www.cnsfsc.com.br/Blog

http://www.colegiosaocamilo.com.br/

Blog do 3ºAno G

http://www.sinodaltiradentes.com.br/2011/3ano/

Espaço Educar

http://espacoeducar-liza.blogspot.com.br/2009/04/descobrindo-gramatica-3-ano-do-ensino.html

Turma do 2º Ano D

http://blog.aprendebrasil.com.br/turma2d/2010/10/14/nos-somos-escritores/

2º Ano B

http://2anobwandarocha.blogspot.com.br/

Blog dos 1º Anos – Turmas A e B

http://protop.com.br/2010_1ano/?cat=9

Blog das Turmas 3ºA, 3º B e 3º C

http://escolarj3ano.blogspot.com.br/

 

Blog dos Alunos

http://escolabarifaldi.blogspot.com.br/

3º Ano B – Ensino Fundamental I – (este blog é administrado por uma aluna e está em construção)

http://medianeira3anob.blogspot.com.br/

Blogs de Escolas que podem abrir páginas para suas turmas:

Escola Classe 02 do Arapoanga

http://ec02doarapoanga.blogspot.com

CEF Mestre D’Armas

http://cefmestredarmas.blogspot.com.br/

Há muitos outros blogs, faça uma pesquisa!

Na próxima postagem veja como construir seu blog educativo passo a passo.

Por: Júlia Virginia de Moura