“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


domingo, 27 de maio de 2012

Piada–Gênero Literário que produz risos: sucesso na sala de aula–4º e 5º anos - EF

"Uma piada é um texto narrativo curto de final engraçado e às vezes surpreendente, cujo objetivo é provocar risos ou gargalhadas em quem a ouve ou lê".Além disso, o riso (em tese, o principal objetivo da piada) é considerado como algo saudável, pois libera endorfina(hormonio) produzido no cérebro que produz sensação de bem-estar”

Se o professor vai trabalhar com textos, que sejam significativos e prazerosos, a piada faz parte das comunicações entre os alunos e com certeza, vão gostar muito dessa atividade realizada na IV Coordenação Coletiva Especial.

A partir deste gênero literário, o Coordenador Pedagógico  Prof. Ronaldo, fez uma demonstração de uma aula, em Lingua Portuguesa, usando como mais ferramenta pedagógica significativa, prazerosa que pode ser usada em reprodução de texto, aspectos textuais, reescrita, ortografia, legilbilidade da escrita, autocorreção, correção coletiva , etc. Enfim, de acordo com as necessidades  maiores das turmas de 4º e 5º Anos.

Realizou com os professores uma atividade de Ditado, autocorreção, correção coletiva e correção individual. Usou esta atividade com o objetivo de demosntrar aos professores a importância da correção da escrita de um texto, principalmente da correção individual, que mesmo sendo cansativa para o professor e mesmo para a turma ( o professor faz a correção com cada um dos alunos, naa sua mesa), pois demanda muito tempo na primeira vez, em menos de um mês, o professor vai ver que valeu a pena, pois esta dificuldade será minimizada ao máximo.

Estratégias

1- O professor lê a piada ( apropriada para crianças, como as conhecidas como sátiras). Aguardar que todos  tenham entendido (pelo menos a maioria), e manifestem bom humor e risos. Provocar comentários que farão com que os mais desatentos entendam e participem.

2- Solicitar que usem o caderno de caligrafia, ou mesmo o caderno comum, e em uma primeira etapa faz um ditado.

3 – Fixar na lousa o texto escrito de forma correta.

DSC02031  DSC02028

2- – O professor explica  a tabela de legenda de correação.

Ao lado do texto  uma legenda de correção e solicitar que cada aluno leia seu texto em seu caderno e depois com o auxílio do texto na lousa e a tabela de legendas, faça a autocorreção.

DSC02038  

3 – Correção alternativa:troca de textos entre colegas (antes, os alunos devem ser preparados para fazer a correção sem criticar o colega);

4- Os primeiro alunos que terminam a autocorreção começam a ser chamados, um por vez, à mesa do professor e este vai corrigir com o aluno novamente.

* Observações importantes feitas pelo professor Ronaldo.

O professor vai observar que resultante da correção individual, principalmente,o aluno descobre : omissões de letras (tão comum nas reescritas e produções) troca de fonemas, aglutinação, e até excesso de letras em palavras e outros.

Nas primeiras vezes é um trabalho  demorado e cansativo, nas próximas os textos já chegam com menos erros e o trabalho é agilizado. Chega um momento em que deixa de ser necessária a correção individual, porque o objetivo foi alcançado: o aluno está errando muito pouco, o que é natural e que vai sendo melhorado no decorrer de sua vida acadêmica. O importante é a atenção que o aluno desenvolve quando produz ou reproduz um texto e a atenção em não cometer erros, principalmente ortográficos e organizativos na composição de um texto. Lembrando que hoje, em todos os estágios da vida acadêmica, é através da redação que um aluno, um canditato à concursos, vestibulares, é avaliado quanto  as competências adquiridas  em Lingua Portuguesa, e estas começam a ser adquiridas no Fundamental I.

Sugestão de livro de piadas: DSC02023

Título: 1001 Piadas

Editora: Matrix                

Autor: Paulo Tadeu

Esta postagem se encontra no blog da Escola Classe 02 do Arapoanga, onde trabalho, como pedagoga > http://ec02doarapoanga.blogspot.com

Por: Júlia Virginia de Moura – Pedagoga

 

 

 

 

Sistema de Numeração Decimal–Adição e Subtração–Um Plano de Aula–1º ao 3º Ano

Interdisciplinando e dinamizando um aula de ciências sobre os animais, de onde sserão coletados dados para formação de numerais, quantificação, sistema de numeração decimal, e situações-problemas, envolvendo adição e subtração, com uso da sapateira, foi a demonstração que a Coordenadora Pedagógica Adriana demonstrou aos professores do 1º Bloco do Bia, na IV Coordenação Especial .
DSC02043
A Coordenadora Adriana iniciou a execução de seu plano de aula

Caderno de Caligrafia–Ressignificando praticas pedagógicas: aspectos textuais -4º e 5º Anos

Esta atividade foi apresentada na IV Coordenação Coletiva Especial da Escola Classe 02 do Arapoanga, em Planaltina, cidade satélite de Brasília-DF, pelo Coordenador  Profº Ronaldo, que demonstrou aos professores como ressignificar uma antiga prática pedagógica, com outros ganhos além do desenvolvimento da caligrafia, como trabalhar o texto em seus  aspectos textuais como: construção de palavras, frases e períodos, coesão e coerência, vocabulário, parágrafo, gênero assim como os aspectos gramaticais, ortografia, acentuação, pontuação, concordância, forma, legibilidade e estética.
O professor realizou com os professores uma atividade do “uso  do caderno de caligrafia” para alunos de 4º e 5º Anos. Lembrando que todos os aspectos textuais que podem ser trabalhados no caderno de caligrafia, devem seguir uma sequência, como vai ser demonstrado, e é muito importante que todos estes aspectos textuais sejam trabalhados, no máximo 2 (dois) de cada vez. Veja o passo a passo:
DSC02024
1º  – Ditado – o professor escolhe um texto pequeno, significativo, contendo diálogos, para que sejam trabalhados: Título, parágrafo, letras maiúsculas, travessão, pontos de interrogação,  exclamação, final; vírgulas, reticências…
O ditado deverá ser transcrito pelos alunos no caderno de caligrafia. O professor deve antes dos alunos desenvolverem  esta atividade, ter realizado uma similar coletiva, com uma folha pautada (caligrafia) em papel gráfico fixada na lousa, explicando de que forma o trabalho será feito, no caderno, individualmente. E durante a atividade já, então conhecida pelo aluno, o professor deverá levar uma folha pautada (caligrafia) com o texto sem a pontuação para ser pontuada após a atividade já ter sido realizada pelo aluno: intervenção/correção.
c1  neste modelo ou neste >  c2

sábado, 26 de maio de 2012

Literatura Infantil - na IV Coordenação Coletiva Especial


Literatura Infantil - Diversas formas de Reconto– Séries Iniciais

Literatura Infantil - Diversas formas de Reconto na IV Coordenação Coletiva Especial da Escola Classe 02 do Arapoanga
Literatura Infantil – Dinâmica “Conto e Reconto” – 1º Ciclo do Bia
A coordenadora, apresentou uma dinâmica de aula de língua portuguesa para 1º, 2º, 3º Anos, numa demonstração da importância da literatura infantil e a riqueza de conhecimentos que o professor pode mediar á turma, que traz uma riqueza não só de conteúdos curriculares, como de desenvolvimento global.
Através do livro:
l
Toca de gente, casa de bicho

Autor(es): Mauro Martins
Ilustrador: Flávio Fargas.
Coleção: Ciranda
Páginas: 40 páginas em 4 cores
Gênero: Conto
Segmento: Educação Infantil, 1º e 2º e 3º Ano do Ensino Fundamental 

SINOPSECachorro que mia? Elefante que late? Leão que cacareja? Entre nessa casa-toca e descubra a confusão que tomou conta dela. A confusão mais divertida que você já viu. E vamos chegando, que é para bagunçar ainda mais esta bagunça...
Sabendo que criança é por demais imaginativa. Ela vive num mundo, às vezes,do faz de conta, onde ela transforma tudo, por exemplo, da vida às bonecas e aos brinquedos com os quais se identifica, canalizando essas fantasias para ajuda-la em seus conflitos emocionais.

VEJA TODA ATIVIDADE NOS LINKS:

Blog da Escola Classe 02 da   Arapoanga

Blog: Só Atividades Para Sala de  Aula

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Escola Classe 02 do Arapoanga promove IV Coordenação Coletiva Especial



IV Coordenação Coletiva Especial
A Coordenação Especial Coletiva que a Escola promove a cada bimestre já faz parte do calendário de atividades pedagógicas voltadas aos professores com o objetivo de  apresentar práticas pedagógicas de sucesso e despertar novas ideias para suas práticas pedagógicas.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Uma “feirinha de artesanato” na festa junina–Atividades para adição e subtração–2º e 3º Ano- Séries Iniciais

Antes, veja este vídeo sobre o roteiro para conteúdos dos fatos fundamentais:
Sabendo que o desenvolvimento do raciocínio lógico matemático é construído, assim como a escrita e a leitura, a partir de conhecimentos adquiridos no dia a dia, através de experiências vivenciadas informalmente, uma excelente sugestão de atividade provocada pelo professor pode  começar na sala de aula, na oficina de artes.
Motivando os alunos à participarem da “festa Junina” da escola que se aproxima, fazendo deste evento tradicional, nas escolas, uma experiência pedagógica rica, o professor, na aula de artes pode trabalhar com os alunos, peças artesanais de E.V.A. ou de produtos descartáveis, que são muito apreciadas por professores, alunos, familiares. Os ganhos financeiros com essa “feirinha” pode ser usada para um passeio, um lanche diferente num fast-food, uma tarde no circo, uma peça infantil no teatro… e a confecção e produção final, usada como dados para a turma “construir” situações-problemas,
trabalhando com adição e subtração, sistema monetário, com o objetivo maior da construção dos enunciados, das  descobertas  das estratégias de resolução, e após o domínio do processo introduzir os algoritmos.

A maior feira educacional da América Latina–a tecnologia mudando os rumos da educação

FEIRA INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO
A maior feira educacional da América Latina
De 16 a 19 de maio de 2012, o Centro de Exposições Imigrantes (SP) será novamente palco de uma das maiores feiras internacionais de Educação: a 19ª Educar, que conta com 200 empresas expositoras de produtos e serviços ligados ao mundo educacional.
Feira em SP traz novidades para sala de aula, como cinema e videogame
E já tem até sala de aula-cinema 5D com a intenção de estimular o aprendizado utilizando os cinco sentidos: visão, audição, paladar, olfato e tato. Nessas salas pode ventar e até chover.

Tem novidade a caminho da sala de aula. Projetores, tela de cinema, videogame, tudo com cara de internet. Ensinar essa geração cada vez mais conectada é um desafio. A tecnologia tenta promover uma maior interatividade entre professor, aluno e método de ensino.
Algumas aulas podem ser comparadas a uma sessão de cinema 3D

A maior feira educacional da América Latina–a tecnolocia mudando os rumos da educação

FEIRA INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO
A maior feira educacional da América Latina
De 16 a 19 de maio de 2012, o Centro de Exposições Imigrantes (SP) será novamente palco de uma das maiores feiras internacionais de Educação: a 19ª Educar, que conta com 200 empresas expositoras de produtos e serviços ligados ao mundo educacional.

Feira em SP traz novidades para sala de aula, como cinema e videogame

E já tem até sala de aula-cinema 5D

terça-feira, 15 de maio de 2012

Oficinas “A Música e a Poesia na cultura brasileira”-Literatura de Cordel nas escolas


Começa no dia 14 de maio as inscrições para as oficinas “A música e a poesia na cultura brasileira”, resultado do prêmio “Mais Cultura de Literatura de Cordel 2010 - Edição Patativa do Assaré”. Direcionada aos professores de escolas públicas do DF, o curso de literatura de cordel será ministrado pelo professor Jairo Mozart que tem como objetivo difundir esse importante elemento da cultura popular brasileira na sociedade, e é por isso, destinada aos professores, responsáveis por disseminar o conhecimento aos seus
alunos, que através deste curso terão em mãos uma nova ferramenta para desenvolver exercícios em diversas disciplinas escolares.

Lá no curso de Cordel
Poesia vai rolar
Com rima e métrica

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Sugestão de produção de texto–reconto de uma crônica–“A bola”- Ensino Fundamental

 
Esta técnica é descrita neste blog: sóatividadesparasaladeaula.blogspot.com]
O professor vai falar sobre a crônica como gênero literário, com os objetivos :
-conhecimentos dos diversos gêneros literários, definindo a crônica;
-apresentar o autor Luiz Fernando Veríssimo;
-leitura e interpretação do  texto – enriquecimento do vocabulário…
(a crônica é um gênero literário que vem sempre com muito humor e desperta no aluno o prazer de ler, e usada como reconto, na produção de texto, dentro desta técnica, desperta também o prazer de escrever, veja a atividade realizada pelo professor e pelo aluno).
Estratégia:
1- Levar a crônica, em impresso, uma cópia para cada aluno o conhecimento do “que é uma crônica” e após a exploração do texto, ressaltando que a trama é relatada por um dos personagens, o pai , como este mesmo texto, esta mesma história poderia ser contada por outro personagem, ou algum objeto, que embora não seja uma pessoa, mas que representa um papel importante na história : como o dono ou vendedor da loja onde o pai comprou a bola, que não aparece no texto, mas com certeza faz parte da história; o garoto ( o filho, que ganhou a bola);  a  própria bola; o videogame…
(levantar uma discussão em torno de personagens principais e secundários, fazer uma listas na lousa e depois levantar hipóteses: como cada um desses participantes da história contaria o que aconteceu? citar um parágrafo, escolhendo um personagem , como por exemplo, a tevê: “Aconteceu um fato interessante hoje. O Léo , como sempre faz todo dia, me ligou,

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Resultado da avaliação pedagógica com fins de psicodiagnóstico–formatação do relatório

Como foi prometido na última postagem, na sequencia de uma avaliação pedagógica pela pedagoga da Equipe Multidisciplinar (SEAA) com fins de psicodiagnóstico, i já concluídas a anamnese (entrevista com a mãe), observação das atividades do aluno, do comportamento deste, em sala de aula, e outros ambientes da escola, atividades avaliativas das habilidades e competências, sugestões nesta postagem: clic >AQUI, veja o resultado deste processo de investigação e a formatação do relatório.
Antes, veja qual foi a queixa do professor que levou a Equipe à investigação, após o aluno ter passado por várias oficinas pedagógicas interventivas de psicomotricidade, desenvolvimento da autonomia, independência, oralidade e autoestima:
*O aluno “W” com 8 anos cursando o 2º Ano (Séries Iniciais) com baixo rendimento escolar, dificuldades de aprendizagem, atrasos no desenvolvimento da linguagem, déficits nas habilidades sociais e um desvio do padrão de comportamento esperado para crianças da mesma idade.
Organização dos dados colhidos durante os vários momentos avaliativos e formatação do relatório da avaliação pedagógica encaminhada ao neuropediatra.