“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


sábado, 31 de março de 2012

Para ler e escrever, é preciso querer. Leitura e Escrita Significativas

A professora de Língua Portuguesa da sexta série / sétimo ano do Ensino Fundamental, comemora: "Ele escreveu o nome na capa do trabalho", com três colegas e à reportagem da Rede Brasil Atual. "Ele começou a ler e escrever apenas neste ano". Até o início de 2011, o garoto de 12 anos sequer abria o caderno, afirma Cristina, responsável pela disciplina de Biologia. A professora conta que não é difícil detectar os alunos considerados "analfabetos funcionais; é comum 30% dos alunos da sexta série não saberem ler e escrever. São os mais indisciplinados. Por não saberem nem ler, nem escrever eles não entendem nada, não participam da aula; o que resta é ficar bagunçando", detecta Paula;"



Eduardo, professor universitário, mestrando e pesquisador, analisa que a dificuldade inicial em ler e escrever, transforma-se em dificuldade de compreensão, de reunir informações e de se expressar diante do mundo, conceitua.


"Se o aluno não compreende frases inteiras, como ele vai resolver questões de matemática?" questiona. "Eles até sabem que 3 x 5 é 15, mas se você colocar na prova quanto é o triplo de 5 mais o dobro de 20, ele não vai saber", exemplifica. "Se questões básicas não estão resolvidas, a estrutura fica afetada e o conhecimento que vem depois não se concretiza".( Suzana Vier/Rede Brasil Atual)


Estes depoimentos de professores da rede pública de São Paulo, assustados com alunos que chegam a 6ª série sem saber ler, escrever e interpretar, sabem também , que as causas são diversas, e apontam algumas. Descartados os problemas de aprendizagem por deficiência intelectual ou por transtornos emocionais de origem sócio-afetivo-culturais, pode-se analisar um outro fator determinante destes resultados: total desinteresse  e  resistência  do aluno á pratica da leitura e escrita.

Este problema, segundo as pesquisas, estão não rede pública de ensino como na rede particular. Por que razão eles resistem em aprender? O que falta para a Escola reverter esta situação? Se a Escola desde as séries iniciais não tem uma Proposta Pedagógica voltada para a leitura, e se os conteúdos não tem significados reais para aqueles alunos, o fracasso vai surgir em algum momento de sua vida acadêmica.


Em uma sociedade constituída em grande parte por analfabetos e marcada por reduzidas práticas de leitura e escrita, somente a consciência fonológica que permite associações de sons e letras, na escrita e na interpretação de palavras, frases ou textos, não é suficiente .
“…surgem na sociedade atual a exigência da língua escrita como condição de sobrevivência e conquista da cidadania, em que  aprender a ler e escrever implica não apenas no conhecimento das letras  e do modo de codificação e decodificação, mas  a possibilidade de usar esse conhecimento em beneficio de formas de expressão e comunicação, e possíveis reconhecimentos em um determinado contexto cultural”(Silvia Collelo)

Considerando, principalmente, a falta de significados nos textos, em sala de aula, nas leituras e reproduções de textos, o que motiva a oralidade e a escrita em crianças e adolescentes? Onde estão seus interesses  e preferencias que vão exigir deles ler, escrever e compreender?

Para cada contexto  social, uma motivação. Se os alunos dá sua escola estão voltados para os games, Orkut, msm,blogs,torpedos(sms), desenhos animados, novelas, seriados de tv, bandas de música, futebol… primeiro é preciso saber o que os motivam à escrita e à leitura, mesmo sem o conhecimento da  língua convencional; e a partir daí, trazer pra sala de aula, esses modelos, trabalhar com os alunos do jeito que eles fazem , como na linguagem dos internautas, e trabalhar a maneira  formal, correta.

Essas são intervenções significativas, criativas, em que o professor faz a provocação e os alunos direcionam as ferramenta.
Nas próximas blogagens as sugestões de alguns trabalhos e projetos serão mostrados no passo-a-passo.



Por: Julia Virginia de Moura – Pedagoga


Leia Mais
Suzana Vier/Rede Brasil Atual
www.redebrasilatual.com.br/
Silvia Colello  - alfabetização e Letramento - Repensando o Ensino da Língua escrita
mais.uol.com.br/.../educadora-Silvia-colello-d-dicas-sobre-a-volta-s-aulas
Escrita e Produção Textual em Ambientes Virtuais - Fátima Bezerra
www.educacaoetecnologia.org.br/?cat=4&paged=2

Nenhum comentário:

Postar um comentário

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores