“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Ação, Aventura, Suspense, Drama ... - a educação pode ser divertida!


A concentração dos alunos na aula é um dos fatores mais determinantes para que eles de fato aprendam. Várias pesquisas e estudos já foram feitos sobre isso, mas não existe uma fórmula mágica que garanta que garotos se interessem mais por cálculos de raiz quadrada do que por bater papo com um colega. Mas alguns especialistas dizem e pesquisas demonstram que, usada da maneira correta, a tecnologia pode sim ajudar a prender a atenção. “Como é uma linguagem que o aluno conhece, o professor se aproxima com mais facilidade” (Maria Elizabeth Almeida, professora do programa de pós-graduação em educação curricular da PUC de São Paulo.)

Na postagem anterior, a abordagem á diferentes vídeos que podem ser usados em sala de aula pedagogicamente, foi mais um “aquecimento” da questão TV/Vídeo em sala de aula, uma pequena amostra da outra face do que os vídeos e filmes podem contribuir para aulas mais atrativas, motivadoras, lúdicas e com melhores resultados.
Não importa se é um professor ou professora no Ensino Fundamental ou no Ensino Médio. A maior preocupação do professor é que seu aluno aprenda. É comum, hoje, a escola pública ter TV e vídeo e há algumas fitas disponíveis. Os alunos estão totalmente envolvidos nos sistemas audiovisuais: TV, vídeos, vídeos-games?
Em muitas escolas públicas as salas de aula são superlotadas; nesta época do ano o calor em várias regiões brasileiras é insuportável, os alunos ficam muito agitados, o sol muito quente impede que atividades pedagógicas possam ser realizadas em áreas abertas, que nem sempre são sombreadas...
É nestes momentos, principalmente, que o uso da TV em sala de aula, é agendado pelos professores, pois além da significação do entretenimento, do enriquecimento de conhecimentos, de valores, e do trabalhar os temas transversais, abstrações, é o momento da calma.
Mas o professor pode usar o filme, o vídeo para obter dos seus alunos muito mais e aqui estão algumas dicas de como usar este recurso, também, dentro de suas práticas pedagógicas.
Questões importantíssimas
· Como usar o vídeo na sala de aula?
· Como planejar a aula?
· Como discutir com os alunos as cenas e mensagens mostradas no vídeo?
· Como levar a turma a fazer uma leitura consciente destas mensagens?
· Que atividades propor aos alunos antes e/ou depois de assistirem ao vídeo?
· Como usar o vídeo dentro do programa curricular a ser cumprido?
Essas questões são importantes para o professor que deseja usar partes ou todo o filme como um recurso de impacto nas atividades curriculares e até mesmo e principalmente nas dificuldades de aprendizagem de alguns alunos.
Para que o vídeo seja usado como atividade pedagógica é necessário que se faça um planejamento para que essa prática não resvale para outros temas e polêmicas que os alunos poderão redirecionar, perdendo o foco em questão
Antecipadamente o professor antes de escolher o vídeo, filme, ou programa de TV que vai usar, precisa:
Compreender as diferentes linguagens que há entre o vídeo, o filme e o programa de TV, para tirar o máximo de cada um de acordo com seus objetivos.
· A linguagem dos filmes tem uma técnica mais cultural que pode ser usada por um muito tempo.
· A TV tem uma linguagem com objetivos mais imediatos, do tipo acontecimentos da atualidade, reportagens, informações em tempo real com a importância da sua transmissão via satélite propiciar conhecimentos sem muito aprofundamento, mas com a vantagem de trazer em tempo real, culturas, lugares, povos diversos, para sala de aula.
· A linguagem do vídeo, a princípio foi divulgar as produções audiovisuais, hoje a dimensão da sua importância está redimensionada: é o registro e a documentação histórica das produções audiovisuais; a facilidade de ver, rever e analisar um produto audiovisual; a possibilidade de intervir parando, pausando, mudando o ritmo e até alterando uma seqüência de imagens e a capacidade de mostrar fatos que falam por si mesmos.
Nem todos os temas e conteúdos escolares podem e devem ser explorados a partir da linguagem audiovisual. A cada conteúdo corresponde um meio de expressão mais adequado. "Cada canal de comunicação codifica a realidade de maneira diferente e influi de forma surpreendente no conteúdo da mensagem comunicada.
A partir do momento em que o professor tem o conhecimento das diversas linguagens audiovisuais vem o segundo passo de igual importância: a criação de um acervo escolar de fitas, ou seja, de uma videoteca escolar (o que não descarta a possibilidade do professor ter o seu próprio acervo, como tem suas apostilas, seus livros básicos, currículo, todo material que usa em seus planejamentos).
Este acervo de vídeos e filmes se pertence á escola deve ser selecionado pelos professores, conter uma sinopse da obra, áreas das disciplinas em que poderá ser usadas (interdisciplinando, inclusive, dependendo do planejamento), idade e série dos alunos.

Por exemplo, os filmes e vídeos poderão ser usados em:

Arte- trilhas sonoras – efeitos especiais – técnicas de animação
 
Matemática – Solução de situações – problemas apresentados no filme. Conhecer parte da história da matemática.
A melhor aula de matemática já feita no mundo! Parabéns ao grande mestre do desenho animado Walt Disney! Além de ser o autor dos clássicos e verdadeiros desenhos animados, conseguiu criar uma excelente versão educativa, usada até hoje para ensinar a matemática de maneira agradável e produtiva.
A História da Matemática
A História da Matemática (The story of maths) foi escolhido como Melhor Documentário produzido no ano pela estação BBC, em votação. Apresentado pelo pesquisador e professor da Universidade de Oxford, Marcus du Sautoy, o filme volta à história da matemática da Grécia e de Atenas e explica o quão importante ela ainda é  nos dias de hoje. O Documentário é dividido em 4 capítulos. Devido ao limite de 10 minutos por vídeo postado no Youtube, cada capítulo está dividido em 5 ou 6 partes.
Vídeo sobre a chegada da Família real no Brasil em 1808. Elaborado por Laurentino Gomes - paranaense de Maringá, formado em Jornalismo pela UFPR, com pós graduação pela Universidade de São Paulo (USP) e cursos na Inglaterra e nos EUA.
"OGladiador" -
História – pesquisas a partir da reconstituição da história, representação do passado, cultura
                                                                                              Gandhi
África do Sul, início do século XX. Após ser expulso da 1ª classe de um trem, o jovem e idealista advogado indiano Mohandas Karamchand Gandhi (Ben Kingsley) inicia um processo de auto-avaliação da condição da Índia, que na época era uma colônia britânica, e seus súditos ao redor do planeta. Já na Índia, através de manifestações enérgicas, mas não-violentas, atraiu para si a atenção do mundo ao se colocar como líder espiritual de hindus e muçulmanos.
Ciências – corpo humano e funcionamento, meio ambiente. Geografia – culturas e espaços diversos
A Região Norte é, sem dúvida, um dos maiores símbolos da riqueza natural do Brasil. Agora, além de abrigar a Floresta Amazônica e o Rio Amazonas, ela pode ser conhecida também por possuir a maior reserva mundial de águas subterrâneas. Um volume equivalente a 29 milhões de Maracanãs cheios, ou de 35 mil vezes a baía de Guanabara. Essa impressionante reserva de água, que está guardada no aquífero de Alter do Chão, é hoje justamente o foco de um dos maiores esforços de estudos já feitos pela Faculdade de Geologia da Universidade Federal do Pará (UFPA), que aponta o Aquífero Alter do Chão como o de maior volume de água potável do mundo. A reserva subterrânea está localizada sob os estados do Amazonas, Pará e Amapá e tem volume de 86 mil km³ de água doce.
Educação Física – expressão por movimentos corporais, danças e lutas.
                               
Língua Estrangeira – pronuncias, conversações, vocabulário, linguagem culta e popular.
Lingua Portuguesa- Brasil/Portugal-                                                                           "Será a mesma Língua?"
Língua Portuguesa- realidade de outros países de língua portuguesa.
OBSERVAÇÃO: o vídeo deve ser assistido com antecedência pelo professor, lembrando de que todo o sucesso depende o seu planejamento.
Sendo que a prioridade não é a preferência do professor ou dos alunos, mas atender aos quesitos:
a. Objetivo didático.
b. Adequação á faixa etária.
c. Informações do vídeo no nível de compreensão dos alunos.
d. Tema adequado ao ambiente escolar. ( descartar os vídeos que contém cenas de sexo, violência ou discriminações ou valores que podem gerar polêmicas entre as famílias)
e. Abordagem atual com ou sem complementações.
O vídeo ou a televisão, por si só, não é garantia de uma aprendizagem significativa. A presença do professor é indispensável. É ele, com sua criatividade, bom senso, habilidade, experiência docente, que deve ser capaz de perceber ocasiões adequadas ao uso do vídeo. No entanto, criatividade, bom senso, experiência vão depender do investimento que fizer neste recurso didático:  “que contribua de fato para o processo de ensino e aprendizagem, para a formação e/ou construção de conceitos e para as relações interpessoais desenvolvidas no ambiente escolar.” (Mônica Cerbella Freire Mandarino Universidade do Rio de Janeiro – UNIRIO -Mestre em Matemática)
"A televisão não pode ser compreendida em si. Ela não é um instrumento puramente técnico, o uso dela é político." FREIRE
Na próxima postagem : mais detalhes "quando usar o vídeo em sala de aula"
REFERÊNCIAS
FREIRE, P. & GUIMARÃES, S. Sobre educação: diálogos. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1984
GADOTTI, M. A escola e a pluralidade dos meios. Revista Escola & Comunicação, Rio de Janeiro, FRM, n.6, 1994.
3MORAN, J.M. O vídeo na Sala de Aula. Revista Comunicação e Educação, n.2, Editora Moderna, 1994.
Organizando O Trabalho Com Vídeo Em Sala De Aula
Liguem a TV! Vamos Estudar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores