“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


segunda-feira, 11 de julho de 2011

TICs - Tecnologia da Informação e Comunicação– principalmente nas escolas

 






As definições das TICs são diversas: “TICs podem ser definidas como tecnologias e instrumentos usados para compartilhar, distribuir e reunir informação, bem como para que as pessoas possam comunicar-se umas com as outras, individualmente ou em grupo, mediante o uso de computadores e redes de computadores interconectados”. (Vera Vieira – Rede Mulher de Educação) ou “as TICs funcionam interferindo na forma como as informações fluem nos meios físico, social e psíquico de um ambiente humano, abrangendo portanto o contexto dos equipamentos, eletrônicos, sonoro, visual, sensitivo e o contexto humano dos relacionamentos”. Ricardo Filipo- PSL-Empresas de Software Livre.


As Tecnologias da Informação e Comunicação - TICs correspondem a todas as tecnologias que interferem e medeiam os processos informacionais e comunicativos. Ainda, podem ser entendidas como um conjunto de recursos tecnológicos integrados entre si, que proporcionam, por meio das funções de hardware, software e telecomunicações, a automação e comunicação dos processos de negócios, da pesquisa científica e de ensino e aprendizagem.
Resumindo as TICs são tecnologias e métodos para comunicação e informação que além de agilizar e fazer com que estes conteúdos se tornem mais facilmente (fisicamente) manipuláveis, ocupando menos espaço físico, por meio da digitalização e da comunicação em redes (mediada ou não por computadores) para a captação, transmissão e distribuição em forma de texto, imagem estática, vídeo e som… com a finalidade de melhorar a qualidade de vida das pessoas  podem ser agrupadas em três categorias:
- Tecnologias de informação utilizam computadores, que se tornaram indispensáveis nas sociedades modernas para processar dados e economizar tempo e esforço.
-As tecnologias de telecomunicações, que também incluem telefone (com fax) e transmissão de rádio e televisão, freqüentemente através de satélites.
- As redes de tecnologias, das quais a mais conhecida é a internet, também incluem a tecnologia de telefone celular, telefonia de voz sobre IP (VoIP), comunicação por satélite.
As TICs na sua função social são responsáveis pela construção da atual sociedade, convencionada aqui como a sociedade da informação, com um formato capitalista que permeia todos os setores da sociedade. Hoje, tudo pode ser expresso por meio digital: palavra, som, foto, música, filme... em que o computador é ferramenta essencial, não somente por ter mudado a vida das pessoas, mas por ter alterado a forma como a sociedade se organiza e se comunica, estabelecendo relações entre si e com o conhecimento.
Estamos vivendo a era digital, era em que a tecnologia se faz presente e necessária a vida de qualquer cidadão. Basta olhar em volta, por toda parte ela está lá: ao assistir à televisão, falar ao telefone, ao passar num caixa de supermercado, ao acessar a Internet, utilizar um terminal bancário, verificar multas de trânsito, fazer o imposto de renda, agendar consulta para contar o tempo de serviço no INSS, trocar mensagens com o outro lado do planeta, pesquisar, estudar, etc..


A Sociedade da Informação no Brasil, sociedade em que a desigualdade social é acentuada, encontra-se em processo de formação e expansão, o mercado de trabalho formal e informal exige que o trabalhador tenha o mínimo de conhecimento na área da informática, caso contrário o desemprego tende a ser maior, já que única máquina pode substituir muitos trabalhadores, daí a necessidade do domínio dos conhecimentos das TICs.
Na verdade a inclusão digital, no Brasil, é que ainda está restrita ás classes sociais que podem ter e fazer uso de da tecnologia digital, inclusive porque necessitam acessar informações como multas de trânsito, contas e pagamentos bancários entre outros. Mas, há ainda as classes sociais que não necessitam desses serviços digitais, mas são obrigados a ter um endereço eletrônico, porque todos os serviços públicos foram informatizados, e mesmo sem ter condições de ter um computador e uma rede de internet e saber fazer uso das TICs, na maioria dos casos, são obrigados á pagar por esses serviços ou fazer uso de lan-houses.
O Brasil tem discutido de várias formas a inclusão digital. Uma prova deste fato, além da criação do portal de inclusão digital pelo Governo Federal e dos vários projetos desenvolvidos por Governos estaduais e municipais.
Dentre as estratégias que o Governo vem adotando, estão os projetos e as ações que facilitam o acesso de pessoas de baixa renda às Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC).
Mas será que a inclusão tem sido feita de forma correta?
Cabe afirmar que incluir digitalmente não é apenas ensinar uma pessoa a usar um computador para acessar a Internet, pesquisar ou elaborar um texto. Mas também, ensinar como melhorar os quadros sociais, utilizando-se dos recursos que um computador oferece permitindo a melhoria de vida, a qualificação profissional entre outros benefícios que a tecnologia traz.
O Ministério da Educação já deu os primeiros passos no sentido de levas as TICs para os processos educativos no Brasil. Sabe se que o Brasil é o país das diversidades sociais e culturais em que o distanciamento das camadas sociais populares representa a maioria da população, tornado o processo da inclusão digital bem mais complexo.
Um dos primeiros passos do MEC foi através da Secretaria de Educação a Distância – SEED – foi oficialmente criada pelo Decreto nº 1.917, de 27 de maio de 1996. Entre as suas primeiras ações, nesse mesmo ano, estão a estreia do canal TV Escola e a apresentação do documento-base do “programa Informática na Educação”, na III Reunião Extraordinária do Conselho Nacional de Educação (CONSED). E após uma série de encontros realizados pelo País para discutir suas diretrizes iniciais, foi lançado oficialmente, em 1997, o Proinfo – Programa Nacional de Informática na Educação –, cujo objetivo é a instalação de laboratórios de computadores para as escolas públicas urbanas e rurais de ensino básico de todo o Brasil.
Dessa forma, o Ministério da Educação, por meio da SEED, atua como um agente de inovação tecnológica nos processos de ensino e aprendizagem, fomentando a incorporação das tecnologias de informação e comunicação (TICs) e das técnicas de educação à distância aos métodos didático-pedagógicos. Além disso, promove a pesquisa e o desenvolvimento voltados para a introdução de novos conceitos e práticas nas escolas públicas brasileiras

Na busca de soluções a essas questões, a UNESCO coopera com o governo brasileiro na promoção de ações de disseminação de TICs nas escolas com o objetivo de melhorar a qualidade do processo ensino-aprendizagem, entendendo que o letramento digital é uma decorrência natural da utilização frequente dessas tecnologias. O Ministério da Educação tem viabilizado a meta de universalizar os laboratórios de informática em todas as escolas públicas, incluindo as rurais. A UNESCO também coopera com o Programa TV Escola, para explorar a convergência das mídias digitais na ampliação da interatividade dos conteúdos televisivos utilizados no ensino presencial e a distância.


 
A UNESCO no Brasil conta com a permanente parceria das Cátedras UNESCO em Educação a Distância em várias universidades brasileiras, que utilizam as TICs para promover a democratização do acesso ao conhecimento no país.
Em 4 de agosto de 2009, a UNESCO no Brasil e seus parceiros lançaram no país o projeto internacional “
Padrões de Competência em TICs para Professores”, por meio das versões em português das brochuras sobre a proposta do projeto. O projeto tem o objetivo de fornecer diretrizes sobre como melhorar as capacidades dos professores nas práticas de ensino por meio de TICs. Autoridades, especialistas e tomadores de decisão analisam a viabilidade da implementação das diretrizes deste projeto adaptadas à realidade brasileira. 
O Impacto da Pedagogia Moderna a partir da pesquisa deste contexto em que se encontra a inclusão digital no Brasil, principalmente, como as TICs estão sendo usadas na Educação, nas escolas, pretende abrir uma série de pesquisas, sobre a importância, de como  usar de maneira muito mais otimizada, em todo seu potencial, neste momento em que a maioria das escolas públicas já possuem seus laboratórios de informática… e não só do uso dos laboratórios, mas de toda a diversidade tecnológica que podem ser usada em sala de aula  não como um instrumento de auxílio ao processo educativo, mas incorporar ao projeto pedagógico introduzir as tecnologias nas práticas de sala de aula, como ferramentas pedagógicas, enfim  uma série de outros desafios… 


 
.
 Referências:

BORGES, Márciade Freitas Vieira. Diálogos com o futuro e respostas ao presente: políticas públicas para utilização da informática no contexto escolar. In: Workshop sobre Informática na Escola, 2008, Belém-do-Pará. Anais do Workshop sobre Informática na Escola,2008. Disponível em: http://www.prodepa.gov.br/sbc2008/anais/pdf/arq0138.pdf. Acesso em: setembro de 2008.

BORGES, Maria Alice Guimarães. A compreensão da sociedade da informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 29, n. 3, p. 25-32, set./dez. 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v29n3/a03v29n3.pdf. Acesso em: agosto de 2008.
BRASIL. “Inclusão Digital”. http://www.inclusaodigital.gov.br/inclusao/Governo Federal. Acesso em: agosto de 2008.
_______________. Ministério da Ciência e Tecnologia. Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia. Livro Branco: ciência, tecnologia e inovação. Brasília: MCT, 2002.
_______________. Ministério da Educação e do Desporto (MEC)/ Secretaria de Educação à Distância (SEED).Diretrizes do programa nacional de informática na educação (PROINFO). Brasília, DF, 1997.17 p.
_______________Programa Nacional de Informática na Educação. Brasília, Ministério da Educação, Secretaria de Educação a distância, 1997. Disponível em: http://www.proinfo.mec.gov.br. Acesso em: julho de 2008.
_______________Decreto nº 5.296 de 2 de dezembro de 2004.http://www.planalto.gov.br/CCIVIL/_Ato2004-2006/2004/Decreto/D5296.htm. Acesso em: julho de 2008.Regulamenta as Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Disponível em:
BRENDLER, Adriana; CRAIDE, Sabrina. Parceria levará internet banda larga a 56 mil escolas públicas até 2010. Agência Brasil, Brasília, 8 de abril de 2008. Disponível em : http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/04/07/materia.2008-04-07.3055799025/view. Acesso em: junho de 2008.

Sites consultados


TICs na Educação do Brasi


http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/communication-and-information/ict-in-education/

l


]Rodiney Marcelo
Colunista Brasil Escola - As Tic’s no contexto da ead: limites e possibilidades=
http://www.brasilescola.com/educacao/as-tics-no-contexto-ead-limites-possibilidades.htm

educação, ciência e tecnologia
http://www.ipv.pt/millenium/Millenium32/16.pdf



2 comentários:

  1. Gostei do seu blog e peço permissão para utilizar suas atividades em um projeto que estou elaborando.
    Sou professora aposentada e pretendo ajudar a prevenir a baixa autoestima em crianças e adolescentes na escola pública.
    Problemas vividos por mim durante os 33 anos de profissão.
    Grata.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Professora
      pode usar estas atividades em seu projeto. A finalidade deste blog é multiplicar experiências que dão certo.
      Boa Sorte e sucesso
      Julia

      Excluir

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores