“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


domingo, 31 de julho de 2011

ProInfo Integrado - Linux Educacional - familiarizando com o sistema




A sociedade atual frente ao impacto do domínio da tecnologia, de uma maneira geral, se autodenomina “leiga” e demonstra, além de um conservadorismo ás técnicas tradicionais, principalmente na educação,a falta de confiança no uso das TICs, um desinteresse em conhecer, e se familiarizar com as nomenclaturas e termos técnicos tais como citados no artigo anterior: SOFTWARE, KERNEL GPL, GNU, UNIX, ROOT e entender suas funções…. Porém não é tão mais complicado que o uso que centenas de usuários ditos “leigos” realizam em seus computadores, em casa, como, baixar músicas, vídeos e jogos com os mais diversos programas, conectam no ir, msn, icq, colocavam luzinhas e bichinhos animados para acompanhar o cursor do mouse, trocavam as fontes e os temas, procuram jogos, encontravam vídeos extremamente incomuns.
Recente pesquisa demonstra que as novas gerações estão mais abertas para investir no conhecimento e uso das TICs, sem que isso seja uma prerrogativa de uma geração ou de pessoas jovens, inclusive entre professores/usuários, mas é uma questão de se ter uma visão inovadora perceber as transformações reais de uma nova sociedade, que acontecem de forma irreversível, e que avançam em todos os setores, não deixando alternativas como escolher entre acompanhar ou ficar á margem destas transformações, que dominam a vida do homem em sociedade.
Essa série de artigos busca alcançar o professor, o educador, principalmente o que se encontra em transição ideológica, sem visar outros fatores que afetam e dificultando o processo de apropriação das TICs pelos professores.

Na exposição da história do Linux, falou-se do Kernel como sendo o próprio Linux. Com a intenção de mostrar que a compreensão do sistema pode acontecer de forma simples, citamos a experiência de Jorge Alberto Corso que faz o relato de sua experiência:

Como explicar o que é kernel para um leigo

“... Comecei a ministrar curso de introdução à administração Linux para uma turma que nunca havia tido contato com o mesmo e então deparei com uma complicada tarefa: explicar o que era o kernel.

Relato aqui a experiência que tive e que achei muito positiva.
Para explicar o que é o kernel, fiz uma analogia com outra máquina: um carro.
Trata-se de duas máquinas, uma mecânica, outra eletrônica.
1) Para o carro movimentar-se ele precisa de um motor;
1) Para o microcomputador funcionar, ele precisa se um programa básico - um software chamado sistema operacional;
2) Existem vários tipos de motores, motores para carro de corrida, para carro de passeio, etc.;
2) Existem vários tipos de sistemas operacionais, Linux, Windows, UNIX, etc.;
3) Mesmo para um mesmo fabricante de motor, existem vários modelos para o mesmo fim, por exemplo: motor 1.0, motor 1.6;
3) Existe um Linux para cada tipo de computador, main-frame, PC, Macintosh;
4) Quando aprendemos a dirigir um carro de passeio, aprendemos o funcionamento básico: direção, pedais para acelerar, trocar de marcha, frear. Ou seja, não atuamos diretamente no motor, mas através de comandos para fazê-lo funcionar;
4) Quando usamos Linux, temos outro software que faz a mediação (interface) entre o kernel e o usuário, chama-se shell. Existem vários shells (csh, ksh, bsh, bash, etc). Mas o importante é que são os mesmos, independente do kernel (motor) em uso, afinal os pedais e direção são sempre iguais seja em um motor 1.0 ou 1.6!
(5) Para alguns acessórios funcionarem em um carro, devemos adequar o motor ou algum componente dele para que isto aconteça, por exemplo, um ar-condicionado exigirá uma bateria com maior amperagem;
5) Para que o Linux funcione perfeitamente, em alguns casos é necessário instalarmos algum módulo específico, entenda módulo com um programa (software) preparado para uma finalidade específica e que não é comum a todos os equipamentos, por exemplo, um módulo para a placa de rede de nosso microcomputador.
Com essas 5 afirmações desta analogia, os alunos entenderam e ainda citaram mais alguns exemplos seguindo esta mesma analogia.
Espero com este artigo facilitar os colegas quando forem explicar o que é kernel para pessoas não técnicas.
Por: Jorge Alberto Corso – disponível em:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores