“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


sábado, 4 de junho de 2011

Habilidades que o aluno vai usar na durante o processo de aprendizagem–Psicomotricidade

Quando o trabalho do professor ou da Equipe Multidisciplinar de Apoio Pedagógico está centrado na alfabetização, seja na Educação Infantil, Séries Iniciais ou com alunos defasados com necessidades específicas na escrita leitura e raciocínio lógico, a psicomotricidade é um fator essencial que deve ter um espaço importante nas intervenções pedagógicas quando surgem as dificuldades.

De acordo com Luciane Rochael, “a estrutura da Educação Psicomotora é a base fundamental para o processo intelectivo e de aprendizagem da criança. O desenvolvimento evolui do geral para o específico; quando uma criança apresenta dificuldades de aprendizagem, o fundo do problema, em grande parte, está no nível das bases do desenvolvimento psicomotor.”


O esquema corporal, a lateralidade, estruturação e orientação espaço-temporal, discriminação e coordenação viso-motora e auditiva, são habilidades necessárias que o aluno vai usar durante todo o processo de aprendizagem.
O desenvolvimento da psicomotricidade pode ocorrer de forma natural ou estimulada, na infância assim como em qualquer momento, em qualquer idade.
O termo psicomotricidade, muitas vezes, num primeiro momento liga á idéia de desenvolvimento de habilidades físicas, porém o conceito leva muito mais além, leva á compreensão de um desenvolvimento global do ser humano que vai permear as aquisições de competências em todas as áreas da aprendizagem.
A Psicomotricidade existe nos menores gestos e em todas as atividades que desenvolvem a motricidade da criança, por exemplo, o domínio do esquema corporal direciona conhecimento e o domínio do seu próprio corpo, uma vez que o esquema corporal vem a ser um elemento indispensável para a formação, inclusive, da personalidade do individuo. O desenvolvimento da personalidade está intimamente ligado a uma progressiva tomada de consciência de seu corpo, de seu ser, de suas possibilidades de agir e atuar, transformando o mundo á sua volta. A própria estruturação espaço-temporal (situar objetos, coisas, pessoas e a si mesmo no tempo e espaço), fundamenta-se na base do esquema corporal, se a criança ainda não tem esse domínio, não se reconhecendo em si mesma, só muito dificilmente poderia apreender o espaço que a rodeia.

Como esclarece Bossa (2000, p.96), “os processos psicomotores, emocionais, cognitivos e sociais precisam ter um corpo “organizado”.
 Portanto na faixa de 7 a 12 anos espera-se que a orientação espaço-corporal e sensorial para essa faixa sejam mais elaboradas.
Outro elemento da psicomotricidade importante é a estruturação espacial, pois é através do espaço e das relações espaciais em que nos situamos no mundo em que vivemos,  estabelecemos relações entre coisas,  fazemos observações, comparando-as, combinando-as, vendo as semelhanças e diferenças entre elas.
Quanto á lateralidade, sabe-se que durante o crescimento a criança, naturalmente define uma dominância lateral, será mais forte, mais ágil do lado direito ou do lado esquerdo.
Um aparelho auditivo e visual íntegro é um pre-requisito muito importante para a aprendizagem da leitura e da escrita, considerando que a discriminação visual e auditiva são elementos que devem ser analisados no desenvolvimento da psicomotricidade, e no caso quando as dificuldades de aprendizagem surgem, devem ser investigados a fim de se descartar possibilidades determinantes de um bom ou mau desempenho na apreensão da escrita e da leitura.
A compreensão dos conceitos de noção espacial (curto/comprido, largo/estreito. grande/pequeno, perto/longe, entre outros) facilita o processo de aprendizagem, principalmente da leitura, de orientação, de encontrar as coisas.


Quando, então, ocorrem falhas no desenvolvimento motor poderá também correr falhas na aquisição da linguagem verbal e escrita. Faltando a criança um repertório de vivências concretas que serviriam ao seu universo simbólico constituído na linguagem, consequentemente, afetando o processo de aprendizagem
As maiores dificuldades na aquisição da escrita, leitura e do pensamento abstrato como troca de fonemas, ordenação de letras e sílabas, no pensamento lógico matemático resulta em grande parte da falta do desenvolvimento psicomotor.   

A Psicomotricidade na Prática - Para ler e escrever é preciso:

- dominância da lateralidade estabelecida: (destro ou canhoto);
- conhecimento numérico para saber quantas sílabas formam uma palavra;
- movimentação dos olhos da esquerda para a direita que são os adequados para escrita;
- discriminação de sons, percepção auditiva;
- adequação da escrita às dimensões do papel, bem como proporção das letras e etc.;
- pronúncia adequada das letras, sílabas e palavras;
- noção de linearidade da disposição sucessiva das letras e palavras;
- capacidade de decompor palavras em sílabas e letras;
- possibilidade de reunir letras e sílabas para formar palavras e etc..
Atualmente, as crianças estão entrando na escola mais cedo, pois se entende que o mundo moderno exige cada vez mais rapidez na atividade intelectual, e a previsão do desenvolvimento da atividade psicomotora não pode ser desconsiderada, para que haja sucesso.


Os professores, preocupados com a leitura e a escrita, muitas vezes deixam de lado a importâncias da psicomotricidade como imprescindível no processo de alfabetização, chegando à maioria dos casos das dificuldades encontradas, á suspeita de deficiência intelectual dos alunos. Muitas dessas dificuldades poderiam ser resolvidas e até evitadas precocemente, se fosse considerado o desenvolvimento psicomotor.
“Neuropsiquiatrias, psicólogos, fonoaudiólogos têm insistido sobre a importância capital do desenvolvimento psicomotor durante os três primeiros anos de vida, entendendo que é nesse período o momento mais importante de aquisições extremamente significativas a nível físico. Aquisições que marcam conquistas igualmente importantes no universo emocional e intelectual” analisa Luciane Rochael.

Aos três anos as aquisições da criança são consideráveis e possuem, então, todas as coordenações neuromotoras essenciais, tais como: andar, correr, pular, aprender a falar, se expressar, se utilizando de jogos e brincadeiras. Estas aquisições são, sem dúvida, o resultado de uma maturação orgânica progressiva, mas, sobretudo, o fruto da experiência pessoal e são apenas parcialmente, um produto da educação. Estas foram obtidas e são complementadas progressivamente ao tocar, ao apalpar, ao andar, ao cair, ao comparar, é  uma ligação estreita- maturação orgânica e experiência neuromotora que se resume em “ uma estreita função das experiências vivenciadas”.

A função motora, o desenvolvimento intelectual e o desenvolvimento afetivo estão entrelaçados na criança, e a psicomotricidade aparece aqui justamente para destacar a relação existente entre a motricidade, a mente e a afetividade.


Referências:

LEBOUCH, Jean. Educação Psicomotora: Psicocinética na Idade Escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1987.

Luciene Rochael -A Importância da Psicomotricidade na Aprendizagem -
 http://psicologiaeeducacao.wordpress.com/2009/05/11/a-importancia-da-psicomotricidade-no-processo-da-aprendizagem/

BOSSA, Nadia A. A Psicopedagogia no Brasil. Porto Alegre, Rio Grande do Sul: Artes Médicas Sul, 2000.




NA PRÓXIMA POSTAGEM – SUGESTÕES de  ATIVIDADES (Práticas)PARA  DESENVOLVIMENTO DA PSICOMOTRICIDADE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores