“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Deixando de ser projeto para ser realidade - a Inclusão Educacional no Distrito Federal




O Censo Escolar é um importante levantamento estatístico-educacional de âmbito nacional realizado, anualmente, pelo Instituto Nacional de Estudos e PesquisasEducacionais Anísio Teixeira (INEP). Os dados demonstram informações relevantes sobre os estabelecimentos escolares, as turmas e o rendimento escolar,informações sobre a movimentação escolar e o acesso ao transporte, transferências de recursos do MEC aos estados e municípios,programas sociais, entre outros...

Além dessas informações, com esse levantamento é possível conhecer os números da evolução das matrículas dos alunos que possuem deficiências. As informações referem-se aos estudantes tanto da rede especial de ensino como daqueles que estão incluídos na rede de escolas regulares, sejam elas públicas ou privadas.

As informações do Censo Escolar, elaborado anualmente pelo INEP,demonstram que desde 1998 existe uma tendência de queda das matrículas dos alunos no ensino fundamental, sendo uma das prováveis causas deste acontecimento a nova visão proposta pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação UFPR 233.1-

Em relação ao número de crianças e de adolescentes com deficiências matriculados em escolas no nível fundamental é constatado a cada ano um aumento, de acordo com dados do INEP em 2005. O que se percebe é que do ano de 2003 até agora, houve um avanço significativo das matrículas desses alunos, sendo que esse avanço demonstra a necessidade urgente de providências quanto à inclusão das crianças com deficiência nas escolas regulares e, principalmente,da prepararação destas escolas, pedagogicamente, espacial e organizacionalmente, para inclusão real das crianças.

Números da deficiência no Brasil

Dos mais de 500 milhões de pessoas que possuem alguma deficiência (mental, física ou sensorial) no mundo, muitos convivem com limitações e são obrigados a viver em condições desfavoráveis. Desse montante, 140 milhões são crianças (UNICEF), que, juntamente com os adultos, sobrevivem em situações marcadas
pela segregação e pela degradação,
A maioria das referências quanto ao número de pessoas com deficiência existentes em uma determinada cidade ou região cita a estimativa de 10% da população geral, e indica como fonte dessa estimativa a Organização Mundial de Saúde (OMS) ou a Organizações das Nações Unidas (ONU) (SASSAKI). Para os países em desenvolvimento, essa estimativa é um pouco maior, situando-se entre 12 e 15%, podendo chegar até mesmo a 20% do total da população (ONU, 2002).

Hoje há uma evolução perceptiva deste quadro, quando analisamos as medidas do Governo do Distrito Federal, através da Secretaria de Estado de Educação implantando a Inclusão  de crianças e adolescentes com deficiência, na faixa de 0 a 14 anos, nas escolas públicas do Ensino Fundamental, descentralizando o acesso aos Centros de Ensino Especial e reduzindo o quantitativo de crianças segregadas nos lares.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores