“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

PISA -O RESULTADO DAS ESCOLAS PÚBLICAS NO BRASIL–POR QUE FICAM ATRÁS EM AVALIAÇÕES INTERNACIONAIS ??!!

Alunos brasileiros de escolas públicas ficam atrás em avaliação internacional

       As avaliações internas já previam indicavam um resultado  do ensino público  muito abaixo da rede particular, então, não podemos ver com tanto otimismo o pensamento do Ministro da Educação, uma vez que não dependeu do investimento do Estado na Educação, essa melhora nos índices de crescimento, e as perspectivas, principalmente no que envolve a valorização do professor, e os incentivos para que o número de profissionais cresça; o que justifica a queda da procura dos cursos de formação do professor, e há quem diga que a tendência é o desaparecimento gradativo dos profissionais da educação  no Brasil.

       A OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) afirma" “ que a melhoria nos índices do Brasil –o país registrou crescimento em todas as notas– se deve à combinação de maior investimento, instrumentos de avaliação e melhores salários para professores.”   Apesar dos elogios, o órgão lembra que as notas médias do Brasil “continuam bem abaixo” da média da OCDE.

       O  investimento em educação, que saiu de 4% em 2000 ( na avaliação do triênio anterior) para “5,2% em 2009” com mais recursos para o pagamento de professores, o que é muito pouco ainda , apenas 1,2% em três anos. Essa não é a principal razão do crescimento, ainda abaixo da média..

        Além do investimento, o órgão diz que repasse direto de dinheiro, via Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica), para os “estados mais pobres” “dá a escolas nesses locais recursos comparáveis às dos estados mais ricos”. Vamos então dar o reconhecimento ao que está funcionando na educação neste país.

      Segundo a OCDE, educadores do país também citam “ o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) como peça-chave na melhoria de resultados”, onde houve maiores investimentos, ficou claro.

      No ano passado, os alunos fizeram provas de leitura, matemática e ciências. De acordo com o órgão, “a melhoria do Brasil no primeiro teste se deu pelo fato de o país ter aumentado a performance de leitura dos melhores alunos, ao mesmo tempo em que manteve o desempenho dos que alcançaram piores resultados.”

      O  que denota que este crescimento deste triênio, ficou esparso, e não se deu de uma forma geral. Priorizou alguns setores em detrimento de outros. É bom que se seja feita uma análise, para que os educadores brasileiros, principalmente os das Escolas Públicas entendam uma realidade, não percebida.

        

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores