“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


quarta-feira, 17 de novembro de 2010

O ALUNO QUE NÃO APRENDE

ESSE ALUNO NÃO APRENDE...
 O que você espera deles?
Se só de olhar você já deduz que este ou aquele aluno não vai aprender, pode apostar: ele não vai mesmo. Para evitar que a profecia se realize, é preciso superar essa primeira impressão. E acreditar que todos podem ter sucessoMeireCavalcante (novaescola@atleitor.com.br)

             “Esse aluno não aprende”
              “Tenho  dois ou três alunos
      que não aprendem, não tem jeito!”.
     São expressões muito comuns entre os professores, quando se deparam com crianças que podem ter um grau de dificuldade de aprendizagem, um ritmo mais lento ou que tenha chegado à sua sala sem ter adquirido os conteúdos da série anterior, e até mesmo o aluno que tem um Déficit de Atenção e Hiperatividade Deficiência Intelectual,alguma Síndrome , que não possuem um diagnóstico, com laudo médico; até mesmo em relação á alunos que não estão dentro de nenhum desse contexto.       
     Dentro das múltiplas experiências em sala de aula, ensino fundamental – séries iniciais, com orientações de ações pedagógicas focadas na premissa de que “todos os alunos tem que aprender”, sem auto-avaliações do “fazer pedagógica”, a discriminação de alunos, que demonstraram estarem fora da média esperada de desempenho escolar, “esses alunos não aprendem”, é o que se pode dizer.
        Na formação continuada do professor, dentro de uma nova pedagogia, o professor é informado da necessidade de descobrir maneiras diferentes de abordagens de conteúdos, maneiras diferentes de ensinar a mesma coisa, já que os estudantes têm ritmos e histórias de vida diferentes. Comportamentos, aspecto físico, família, religião, classe social, econômica e cultural de um aluno não determinam a capacidade cognitiva.
        Porém, esta mesma pedagogia moderna, sugere que os alunos com dificuldades de aprendizagem devem ser encaminhados ás Equipes de Apoio á Aprendizagem, a fim de serem submetidos á investigação de uma suspeita de Alunos com Necessidades Educacionais Especiais (ANAEEs). O que faz com que um número considerável de professores faça de imediato a segunda opção, quando a primeira é a principal, pois novas maneiras de ensinar, dentro de outros recursos como projetos interventivos, trabalhos em grupo, reforço (retomando os conteúdos anteriores não adquiridos), trabalho de auto estima...é o que vai dar um norte, como sinaliza Esther Pillar Grossi (Geempa) “nas séries iniciais é comum e normalíssimo encontrar crianças com dificuldades de aprendizagem... (...) os alunos precisam acreditar que o educador gosta de ensinar e, mais do que isso, saber que ele está cumprindo sua função. A ação do professor é que vai fazer a diferença.”

* Consultoria Esther Pillar Grossi, professora e fundadora do Grupo de Estudos sobre Educação, Metodologia de Pesquisa e Ação (Geempa).
*Revista Nova Escola –www.nv.org.br





      



2 comentários:

  1. Recebi um 3º ano e quatro não sabem ler .Estamos fazendo reforço , faço um plano especial pra eles todos dias , um começou a aprender ,um outro começa aprender hoje e amanhã ele esqueceu tudo,dois não conseguem memorizar e assimilar conhecimento nenhum, mas são prestativos , ajudam recolher livros , gostam de ganhar certos nos cadernos e nas atividades e estimulo com pequenos brindes se não esquecer isso ou aquilo , mas mesmo assim não vi avanço significativo.Nas casas descobri que não tem nenhum material de leitura ,livros , nada,adoram a escola e são frequentes me mandem ajuda.

    ResponderExcluir
  2. Tente usar atividades significativas om seus quatro alunos que estão aquem da sua turma. Descubra quais são seus interesses: uma música, uma brincadeira, um jogo , um desenho animado... aproveite para motivar e provocar a vontade de aprender. Vai ficar mais fácil e mais prazeroso o seu trabalho tanto para você como para seus alunos e as chances de sucesso são bem maiores!
    Obrigada pela visita e pelo comentário.
    Abraços
    Júlia

    ResponderExcluir

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores