“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


domingo, 17 de outubro de 2010

COMPORTAMENTO– QUANDO É AGRESSIVIDADE E QUANDO É BULLYING?

ed infantil
COMPORTAMENTO – QUANDO É AGRESSIVIDADE E QUANDO COMEÇA O BULLYING?

A agressividade infantil pode ser analisada, á partir da Educação Infantil, quando então deixa o ambiente familiar, onde as relações já estão de certa forma, estabelecidas, e novas relações surgem com o inicio da socialização, propriamente dita, por estar em um ambiente estranho e em relação com indivíduos diversos.
Antes de tudo é preciso situar o comportamento da criança dentro de sua faixa etária ou sexo dentro ou não dos padrões esperados, nas faixas de seu desenvolvimento global.
Segundo a teoria piagentiana podemos classificar o desenvolvimento cognitivo em diversas etapas. Na educação infantil, passamos basicamente por duas delas: Sensório-motora que vai do nascimento aos dois anos de idade. Nesta fase a criança se utiliza basicamente dos sentidos para conhecer o mundo. Tudo aqui acontece por reflexos e a criança leva tudo à boca; Pré-operatória que vai dos 2 aos 7 anos onde a criança começa a adquirir noções de tempo, espaço. Ainda não há raciocínio lógico e as ações para ela ainda são irreversíveis.
ed infantil 2
É importante lembrar que a criança no inicio de sua socialização ainda não expressa sentimentos através da linguagem oral e a comunicação corporal vai ser usada para adquirir o que deseja: morder, empurrar, gritar... é uma fase natural, mas daí já começa as interferências da professora, da mãe, no sentido de mostrar atitudes corretas em cada ocasião. Regras e Limites. O que não exclui a intencionalidade, também, de ser hostil.
                                                               
O contexto familiar, a escola, estímulos recebidos pelos familiares, pela mídia, e ainda fatores individuais como sexo e hereditariedade, devem ser levados em conta, também, como propulsores do desenvolvimento do comportamento agressivo.
É essencial saber discernir quando um comportamento agressivo é passageiro, por motivos temporários, como o nascimento de um irmãozinho, a hospitalização ou perda de um ente querido, ou ainda por mudança de casa ou escola ou se pode ser considerado como um transtorno de conduta, caso em que é necessário um acompanhamento de especialista para auxiliar a sanar o problema. Se não dermos a devida importância nesta fase essas atitudes poderão evoluir de forma prejudicial na adolescência e vida adulta, podendo transformar a criança em agente ou alvo de Bullying...”Karen Kauffman (Pedagoga) http://guiadobebe.uol.com.br/bb4a5/a_agressividade_infantil__bullying.htm

Já aos quatro, cinco e seis anos de idade alguns comportamentos de discriminação que podem ter repetidamente o mesmo alvo. Aparecem os conflitos, “panelinhas”, provocações e humilhações. É aqui que pais e educadores devem estar atentos para poder inibir esse comportamento antes que ele se instale e seja mais difícil de eliminá-lo. Como as descobertas das diferenças físicas e emocionais, gagueira, obesidade, timidez...
A agressividade só deve ser tratada como um desvio de conduta quando ela aparecer por um longo período de tempo e também se não estiverem ocorrendo fatos transitórios que possam estar causando os comportamentos agressivos.
A personalidade da criança forma-se até os seis anos de idade e todas as experiências de vida devem ser consideradas, pois a criança que foi estimulada, elogiada e tratada com afeto será uma criança diferente daquela que levou muito mais broncas, castigos e indiferença, pois são alguns dos pontos determinantes da formação da personalidade e de suas atitudes futuras.
Regras e limites com afeto. Comportamentos têm que ser analisados juntamente com seus educadores todo o tempo, pois a criança ela que consegue liderar e tirar proveito destas situações, quando age livremente dentro de comportamentos agressivos e no futuro poderá tornar-se um agente do bullying e muito provavelmente um adulto violento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores