“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”.

Paulo Freire


quarta-feira, 15 de setembro de 2010

TDAH - O QUE HÁ DE NOVO ?



DEFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE – O QUE HÁ DE NOVO ?

          Há comportamentos da criança e do adolescente que causam preocupações, são motivos de investigação por parte das Equipes de Apoio á Aprendizagem, pois são fatores de dificuldades de aprendizagem e  confundem com doenças, nem sempre são fáceis de serem diagnosticadas gerando estigmatização.
        A agitação e distração excessivas podem ser sintomas de transtornos  de deficit de atenção e hiperatividade (TDAH) que atinge predominantemente crianças e adolescentes; a compreensão mais apurada dos comportamentos próprios de cada idade e das alterações cerebrais dos portadores trouxe novos horizontes ao tema e esquentou a polémica em torno do exagero diagnóstico e do melhor tratamento, se psicológico ou através de medicamentos.
           Os sintomas típicos de distração e agitação aparecem em todas as idades, até mesmo em adultos. As crianças mostram-se esquecidas ou impacientes, tendem a atrapalhar os outros e tem dificuldades em respeitar limites. Há uma falta de controle dos impulsos.
        Os neurologistas utilizam modernas técnicas de imageamento, pesquisadores identificaram alterações em várias regiões do cérebro de crianças que sofrem de TDHA, em que na média, o lobo frontal e o cerebelo são menores, assim como os lobos parietal e temporal, áreas responsáveis pela emoção e pelo controle dos impulsos e movimentos que resulta no TDAH, sem que se já configurado deficiência mental básica.
          A inquietação física tende a diminuir nos adolescentes, mas a falta de atenção permanece e, muitas vezes se associa a comportamentos agressivos ou anti-sociais e problemas emocionais, assim como a uma tendência ao uso de drogas.  Os sintomas continuam em 30% a 50% dos casos.
        No desempenho escolar, a dificuldade que o aluno apresenta devido não somente na falta de atenção em si, mas na rápida queda da capacidade de prestar atenção contínua, assim como uma necessidade incontrolável de se mexer.
        A hiperatividade também se associa com deficits na coordenação motora fina, que tende a permanecer rudimentar, e com a incapacidade da criança parar de falar.
         O aspecto emocional das crianças e adolescentes com TDAH é um aspecto que não pode ser esquecido, pois enfrentam uma constante batalha com suas emoções. Têm grandes dificuldades em lidar com a frustração e não conseguem controlar seus sentimentos e falta de motivação para realizar determinadas tarefas.

Fonte de Pesquisa:

Mentes Inquietas TDAH- Desatenção, Hiperatividade  –A.B.Barbosa –Fonanar, 2009
Transtorno do Déficit de Atenção/Hiperatividade: atualização diagnóstica e terapêutica
E. Bellini Peroni Benczik – Casa do Psicólogo, 2000
Edição Especial da Revista Mente&Cérebro, 2010



Nenhum comentário:

Postar um comentário

. Não seja apenas um visitante. Deixe seu comentário. Este é um espaço de intercâmbio de conhecimentos Entre educadores, e não apenas de divulgação de informações e conteúdos PARA educadores